Última hora
This content is not available in your region

Greta Thunberg junta-se a ativistas pelo clima em Milão

Access to the comments Comentários
De  Giorgia Orlandi & Euronews
euronews_icons_loading
Greta Thunberg junta-se a ativistas pelo clima em Milão
Direitos de autor  Antonio Calanni/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Ao lado de centenas jovens ativistas, Greta Thunberg tomou, esta sexta-feira, as ruas de Milão em nome do ambiente. A ativista sueca compareceu na manifestação do movimento Youth4Climate para dar voz ao combate contra as alterações climáticas, não muito longe do local onde estava a decorrer a reunião preparatória da COP26 (PreCop), a cimeira que dentro de um mês vai juntar chefes de Estado e de governo em Glasgow para tomar medidas em prol do clima.

Perante uma multidão em protesto, Thunberg afirmou que "a esperança é isto. A esperança somos nós, o povo. A esperança é quando as pessoas se reúnem para fazer mudanças. Temos todos os direitos de estarmos zangados. Temos todo o direito de ir para as ruas e de exigir mudanças. Porque a mudança não é apenas possível. É também urgentemente necessária".

Ao lado das ativistas Vanessa Nakate e Martina Comparelli, Thunberg reuniu-se ainda com o primeiro-ministro italiano, Mario Draghi. No encontro, informa o governo transalpino, foi discutido o compromisso de Itália na implementação de políticas ambientais, no ano em que cabe ao país a presidência do G20.

Os chefes de Estado e de Governo são criticados pelos jovens manifestantes por fazerem muitas promessas, sem que nada tenha sido cumprido, o que terá Greta Thunberg a afirmar durante o seu discurso proferido no âmbito da PreCop, que "não há planeta B, não há planeta blá-blá-blá".

Agora, os ativistas voltam a exigir ações concretas, como o encerramento das indústrias fósseis antes de 2030, um sistema de financiamento mais transparente para as questões climáticas e um turismo responsável e sustentável.

Até este sábado, quatro grandes questões estarão em cima da mesa, nomeadamente a participação dos jovens nas discussões de política climática, a "recuperação sustentável" após a pandemia, o envolvimento de agentes não-governamentais e a criação de uma sociedade consciente do clima.

De Milão, é esperado que saiam de Milão os temas e as negociações a decorrer na COP26, a cimeira de onde, dentro de um mês e ao contrário de anos anteriores, - esperam os ativistas - vão sair medidas globais concretas para defender o clima