EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cerca de 3 000 pedófilos na Igreja Católica Francesa

Cerca de 3 000 pedófilos na Igreja Católica Francesa
Direitos de autor from AFP video
Direitos de autor from AFP video
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de 3 mil pedófilos integraram a Igreja Católica Francesa desde 1950. Esta é uma "estimativa mínima", avançada pelo líder da comissão independente que investiga o Abuso Sexual na Igreja em França. Um relatório com 2 500 páginas, com as conclusões da investigação será publicado na terça-feira.

PUBLICIDADE

Cerca de 3 mil pedófilos integraram a Igreja Católica Francesa desde 1950. Esta é uma "estimativa mínima", avançada pelo líder da comissão independente que investiga o Abuso Sexual na Igreja em França. Um relatório com 2 500 páginas, com as conclusões da investigação será publicado na terça-feira.

Pierre d'Ornellas, arcebispo de Rennes, Dol e Saint-Malo, foi um dos membros do clero ouvidos pela comissão: “É doloroso pelo que as vítimas sofreram. No que diz respeito aos agressores, estou envergonhado, escandalizado, não consigo compreender".

O relatório tentou identificar o número de pedófilos e o número de vítimas. Na investigação que demorou dois anos e meio foram tidos em conta arquivos da igreja, dos tribunais e da polícia, bem como entrevistas com testemunhas.

Quando iniciou os trabalhos, a comissão apelou a depoimentos de testemunhas e abriu uma linha telefónica direta, tendo recebido milhares de mensagens nos meses seguintes.

Composta por 22 juristas, médicos, historiadores, sociólogos e teólogos, a comissão tinha como missão investigar denúncias de abuso sexual infantil cometido por membros do clero desde a década de 1950.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Milhares de húngaros manifestam-se para exigir reformas na proteção das crianças

"Casa dos Horrores" de Marc Dutroux dá lugar a um jardim memorial

Papa encontra-se com vítimas de abusos sexuais na Igreja em Portugal