This content is not available in your region

Verdes alemães dizem sim ao "semáforo"

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  & Francisco Marques
euronews_icons_loading
Verdes alemães dizem sim ao "semáforo"
Direitos de autor  Michael Kappeler/ dpa

Os Verdes alemães vão começar conversações oficiais para uma coligação de governo com os sociais-democratas do SPD, partido mais votado nas últimas eleições legislativas, e com os liberais do FDP.

Estas conversações, que seriam as mais lógicas tendo em conta os resultados eleitorais, vão poder avançar depois do congresso dos verdes, em que 70% dos delegados votaram a favor desta solução, que deve levar a uma coligação apelidada semáforo, devido às cores dos três partidos - verde, amarelo e vermelho.

"Olhando para os últimos dias e semanas, podemos dizer que as conversações exploratórias correram muito bem. temos um acordo preliminar e podemos dizer que, apesar de haver concessões e de ser preciso explicar muita coisa, é um bom acordo, que nos dá a hipótese de entrar no governo, de entrar nas negociações para formar uma coligação e cumprir aquilo que prometemos na campanha: Que é a de dar a este país uma política que dê respostas aos desafios dos nossos tempos", disse Robert Habeck, que partilha com Annalena Baerbock a liderança do partido.

Este é um bom acordo, que nos permite entrar no governo.
Robert Habeck
Co-líder dos Verdes

Para que a coligação do "semáforo" avance, é preciso que o amarelo, ou seja, o FDP, dê também luz verde aos Verdes e ao SPD, o que deve acontecer já no encontro desta segunda-feira. Os sociais-democratas votaram já, na sexta-feira, a favor do início das negociações com os parceiros mais pequenos. A confirmar-se, é um regresso dos Verdes ao governo, depois dos anos de Gerhard Schröder, em que os Verdes, então liderados por Joschka Fischer, foram parceiros de coligação do SPD.

As coligações de governo na Alemanha

Os executivos da maior economia da União Europeis são formados por tradição por coligações de diversos partidos porque a prática mostra que apenas por uma vez em 70 anos a maioria no "Bundestag" foi conseguida por apenas um partido político.

Algumas destas alianças governativas recebem apelidos curiosos. Eis as mais usuais:

Grande coligação/GroKo
Junta os dois maiores partidos alemães, a CDU e o SPD, e daí o nome de "grande coligação" ou "GroKo". A primeira versão surgiu em 1966. A segunda surgiu em 2005, no aparecimento de Angela Merkel (CDU) como chanceler. A coligação viria a aser retomada em 2013 e, após nova negociação de mais quatro meses em 2017, durou até agora;

"Semáforo"
É a designação para uma coligação entre o SPD (vermelho), o FDP (amarelo) e os Verdes, já testada a nível regional, mas ainda por estrear a nível federal. Parece, no entanto, ser agora a mais viável após os últimos resultados;

"Jamaica"
Parte das cores da bandeira do país e, claro, de novo das cores dos partidos envolvidos. Neste caso, trata-se de uma aliança também já testada a nível regional e ainda por estrear no Parlamento nacional. Junta os democratas-cristãos da CDU/CSU (preto) com os Verdes e o FDP (amarelo);

Preto-amarelo
É a coligação que mais vezes esteve no poder e junta a CDU, com o irmão-bávaro CSU, ao FDP. Formaram juntos 10 executivos e governaram 19 anos, mas a perda de força dos liberais, praticamente extinguiu a possibilidade de uma "reencarnação" a dois;

Verde-Vermelho
Os ecologistas entraram pela primeira vez num governo federal em 1998, ao lado do SPD. Depois de uma perda de força após 2011, os Verdes voltaram a ganhar força com o Acordo de Paris e a necessária luta contra as alterações climáticas. Em 2017, chegaram a ser ponderados para uma coligação,tal comoa gora, mas ainda sem a força necessária para um novo executivo bipartido com os sociais-democratas de centro-esquerda.