This content is not available in your region

Duas marchas em Budapeste

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Duas marchas em Budapeste
Direitos de autor  Laszlo Balogh/Laszlo Balogh

As eleições do próximo ano dominaram as comemorações do aniversário da revolução contra o regime comunista de 1956, na Hungria. Dezenas de milhares de apoiantes do primeiro-ministro, Viktor Orbán, marcharam pelas ruas de Budapeste.

Orbán disse que Bruxelas fala com os húngaros e os polacos como se fossem "inimigos", o que o faz ter "uma sensação de déjà vu", que "um ar de uma doutrina Brezhnev está a varrer a Europa".

Para Orbán, a coligação da oposição resulta de uma conspiração do ex-primeiro-ministro Ferenc Gyurcsány

O correspondente da Euronews em Budapeste, Gábor Kiss, realça que, nesta Marcha da Paz, "o partido no poder Fidesz e os seus apoiantes levantaram sua voz contra o regresso da esquerda, atacando o ex-primeiro-ministro socialista Ferenc Gyurcsány. Enquanto isso, a algumas centenas de metros de distância, os partidos da oposição deixaram claro que querem acabar com o regime de Viktor Orbán. "

Seis partidos da oposição também realizaram uma marcha chamada "Unidos pela Hungria livre".

O candidato da oposição, Péter Marki-Zay, lembrou que "teve de haver união para derrotar o Exército Vermelho" e apelou a que agora também haja união, pois considera ser o único caminho para a vitória.

Na próxima primavera, Orbán enfrenta aquele que parece ser o mais sério desafio ao seu poder desde 2010.