This content is not available in your region

Grupos de rebeldes etíopes unidos contra o governo

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AP
euronews_icons_loading
Grupos de rebeldes etíopes unidos contra o governo
Direitos de autor  Gemunu Amarasinghe/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.

Os rebeldes do Tigré juntaram-se esta sexta-feira a outros grupos armados e da oposição etíope numa aliança contra o primeiro-ministro Abiy Ahmed. “Não há limite para nós", disse Berhane Gebrechristos, antigo ministro dos Negócios Estrangeiros aos repórteres em Washington. "Definitivamente, teremos uma mudança na Etiópia antes de a Etiópia implodir", afirmou. 

O governo da Etiópia chama à nova coligação uma "manobra publicitária" sublinhando que os intermediários são os mesmos que tentam negociar uma solução pacífica.

A aliança da oposição foi anunciada horas antes do Conselho de Segurança das Nações Unidas, pela primeira vez, apelar ao fim da intensificação do conflito na Etiópia e ao livre acesso da ajuda humanitária para enfrentar a pior crise de fome do mundo numa década na região de Tigré.

A declaração à imprensa aprovada pelos 15 membros do organismo da ONU apelou a todas as partes para evitarem " discursos inflamatórios de ódio e de incitação à violência e à divisão". Os membros do Conselho exortaram ainda as partem "a porem termo às hostilidades, a negociarem um cessar-fogo duradouro, e a criarem condições para o início de um diálogo nacional etíope inclusivo".

A aliança recentemente anunciada inclui as forças do Tigré que estão a combater as forças etíopes e aliadas, bem como o Exército de Libertação Oromo que luta ao lado das forças do Tigré e de sete outros grupos. 

Os combatentes do Tigré estão a aproximar-se da capital, Adis Abeba, de acordo com o Departamento de Estado, e a Etiópia apelou aos veteranos militares para se juntarem ao que agora se chama uma "guerra existencial".