Não vacinados alvo de restrições pela Europa

Centro de vacinação de crianças, Viena de Áustria
Centro de vacinação de crianças, Viena de Áustria Direitos de autor Euronews/AP
Direitos de autor Euronews/AP
De  Nara Madeira com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Alguns países europeus reforçam restrições para travar a Covid-19, o alvo são as pessoas não vacinadas.

PUBLICIDADE

Na Áustria já entrou em vigor a restrição de movimentos aos não vacinados com idade superior a 12 anos, ou não recuperados, recentemente, da Covid-19. A partir de agora, e pelo menos até ao dia 24, estas pessoas só podem sair de casa em situações de necessidade como ir trabalhar, fazer compras, ir à escola, dar um pequeno passeio, ou ir ao médico, para ser vacinado, por exemplo. Haverá controlos policiais e as multas ascendem aos 1.450 euros.

É o aumento no número de casos que leva a medidas como esta, Berlim, na Alemanha, foi o mais recente de vários estados alemães a interditar o acesso de pessoas não vacinadas, maiores de 18 anos, (salvo as que estiveram infetadas recentemente) a ginásios, restaurantes e bares, cinemas, museus, etc.

Quinta-feira, o parlamento alemão deverá votar um novo quadro legal para as restrições elaborado pelos partidos que se espera venham a formar o próximo governo de coligação.

Já o Reino Unido recomenda o reforço da vacinação a pessoas com idades entre os 40 e 49 anos e uma segunda dose da vacina Pfizer a ser administrada aos jovens com 16 e 17 anos.

Jonathan Van-Tam, o vice-chefe do serviço médico de Inglaterra, afirmava acreditar que _"_se o programa de reforço for bem-sucedido e tiver uma aceitação muito elevada" é possível "reduzir maciçamente a preocupação com a hospitalização e morte devido àCovid-19no Natal e durante o resto do próximo inverno, para milhões de pessoas. É tão simples, tão decisivo quanto isso", acrescentava este responsável do serviço nacional de Saúde inglês.

Em França volta ser obrigatório, desde esta segunda-feira, o uso de máscara nas escolas do primeiro ciclo e noutras faixas etárias nas regiões mais afetadas pela Covid-19.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Covid-19 agrava cremações na Ucrânia

Pico de infeções por Covid-19 na Alemanha

Aumento de casos na Europa leva a mais restrições para travar covid-19