Igreja "trans" abre os braços aos duplamente excluídos no Brasil

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
Jacque Chanel preside celebração na primeira igreja transexual do Brasil
Jacque Chanel preside celebração na primeira igreja transexual do Brasil   -   Direitos de autor  MIGUEL SCHINCARIOL/AFP

Amar o próximo é um conceito transversal a várias religiões mas que não é seguido a preceito por muitos religiosos, pelo menos quando o próximo não cumpre determinados pré-requisitos.

Jacque Chanel sofreu na pele essa discriminação mas deu a outra face e criou a primeira igreja "trans" do Brasil, em São Paulo. Apesar da vocação para acolher os duplamente excluídos, pela sociedade e pela igreja tradicional, na Séfora's todos são bem-vindos.

Nós somos literalmente excluídas, expulsas e demonizadas dentro das igrejas fundamentalistas
Jacque Chanel
Pastora evangélica

A pastora evangélica revela que o primeiro contacto com a religião aconteceu em "igrejas fundamentalistas", mas que "essas igrejas fundamentalistas elas não acolhem a todas as pessoas, principalmente a nossa comunidade LGBTQI+, em especial a nossa comunidade de travestis e transexuais".

Além de atender às necessidades espirituais, a igreja também ajuda a suprir as necessidades terrenas e distribui comida a cerca de duas centenas de pessoas carenciadas.

De acordo com dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais, foram assassinados 175 transexuais no Brasil em 2020, mais do que em qualquer outro país. Este ano, o Brasil volta a estar na frente de uma tabela que lidera desde 2008.

Editor de vídeo • Bruno Sousa