This content is not available in your region

Coligação "semáforo" ratificada pelo SPD: começa o fim da era Angela Merkel

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Coligação "semáforo" ratificada pelo SPD: começa o fim da era Angela Merkel
Direitos de autor  Michael Kappeler/(c) Copyright 2021, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten

Coligação "Semáforo" aprovada pelo Partido Social-Democarata (SPD) da Alemanha. A decisão abre caminho para a investidura de Olaf Scholz como novo chanceler e para o fim anunciado da era Angela Merkel.

No congresso extraordinário do SPD, 98,8% dos delegados votaram a favor do acordo de governo com os Verdes e os liberais (FDP).

A coligação de esquerda foi ratificada pelos sociais-democratas e Scholz, o líder do SPD e o chanceler designado, destacou o "progresso" como o princípio que distingue esta nova aliança de governo na Alemanha da anterior liderada pelos conservadores da União Democrata-Cristã (CDU), de Merkel.

É também o progresso que nos distingue de outros que se sentam nas bancadas de oposição do 'Bundestag' alemão, uma vez que temos ideias e que queremos de facto implementá-las.
Olaf Scholz
Líder do SPD e chanceler designado

O chanceler designado destacou "a aprovação de 98,8% do acordo de coligação" para um "governo progressista". "Estou muito satisfeito e agora vamos trabalhar", escreveu Olaf Scholz nas redes sociais.

Para ser oficializado, o acordo da coligação "Semáforo", nome pela qual é conhecida devido às cores dos três partidos envolvidos (ver caixa), é votado este domingo pelo Partido Liberal (FDP) e na segunda-feira é aguardada a revelação do resultado da consulta realizada pelos Verdes às bases.

Se tudo confirmado, como previsto, na quarta-feira termina a era Merkel  e começa a de Olaf Sholz na Alemanha, a maior economia da União Europeia.

As coligações de governo na Alemanha

Os executivos da maior economia da União Europeis são formados por tradição por coligações de diversos partidos porque a prática mostra que apenas por uma vez em 70 anos a maioria no "Bundestag" foi conseguida por apenas um partido político.

Algumas destas alianças governativas recebem apelidos curiosos. Eis as mais usuais:

Grande coligação/GroKo
Junta os dois maiores partidos alemães, a CDU e o SPD, e daí o nome de "grande coligação" ou "GroKo". A primeira versão surgiu em 1966. A segunda surgiu em 2005, no aparecimento de Angela Merkel (CDU) como chanceler. A coligação viria a aser retomada em 2013 e, após nova negociação de mais quatro meses em 2017, durou até agora;

"Semáforo"
É a designação para uma coligação entre o SPD (vermelho), o FDP (amarelo) e os Verdes, já testada a nível regional, mas ainda por estrear a nível federal. Parece, no entanto, ser agora a mais viável após os últimos resultados;

"Jamaica"
Parte das cores da bandeira do país e, claro, de novo das cores dos partidos envolvidos. Neste caso, trata-se de uma aliança também já testada a nível regional e ainda por estrear no Parlamento nacional. Junta os democratas-cristãos da CDU/CSU (preto) com os Verdes e o FDP (amarelo);

Preto-amarelo
É a coligação que mais vezes esteve no poder e junta a CDU, com o irmão-bávaro CSU, ao FDP. Formaram juntos 10 executivos e governaram 19 anos, mas a perda de força dos liberais, praticamente extinguiu a possibilidade de uma "reencarnação" a dois;

Verde-Vermelho
Os ecologistas entraram pela primeira vez num governo federal em 1998, ao lado do SPD. Depois de uma perda de força após 2011, os Verdes voltaram a ganhar força com o Acordo de Paris e a necessária luta contra as alterações climáticas. Em 2017, chegaram a ser ponderados para uma coligação,tal comoa gora, mas ainda sem a força necessária para um novo executivo bipartido com os sociais-democratas de centro-esquerda.