This content is not available in your region

Cruzeiros investigados pelas autoridades dos EUA

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com AFP
euronews_icons_loading
Cruzeiros investigados pelas autoridades dos EUA
Direitos de autor  AP / Rebecca Blackwell

As companhias de cruzeiros pedem vacinação completa e teste negativo à entrada dos navios. Mas com uma variante mais transmissível e resistente à vacinação aumentam as infeções.

A principal agência de saúde pública dos Estados Unidos está investigar mais de 60 navios de cruzeiro depois do aparecimento de casos de covid-19 a bordo.

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças, estes navios atingiram o "limite" necessário para serem investigados.

Na última semana, no continente americano, pelo menos quatro navios de cruzeiro foram afastados dos portos de escala ou foram proibidos de deixar desembarcar passageiros por causa de casos a bordo. Apesar da explosão de casos no país, muitas pessoas não desistem das férias no mar. A maioria destes turistas acredita que com as vacinas e as máscaras estão protegidos.

A pandemia provocou a suspensão das operações de cruzeiro durante mais de um ano. As viagens foram retomadas em junho com uma série de medidas para tentar manter o vírus à distância, tais como a vacinação obrigatória dos empregados e passageiros com mais de 12 anos. Mas a variante Ómicron apresenta um novo desafio.

O número de casos covid-19 nos EUA continua a aumentar, com uma média de quase 190 mil novos casos diários durante os últimos sete dias.