This content is not available in your region

Alemanha encerrou três das seis centrais nucleares que tinha

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Alemanha encerrou três das seis centrais nucleares que tinha
Direitos de autor  Christof Stache/Associated Press

A Alemanha encerrou, no último dia de 2021, três das seis centrais nucleares que ainda tinha em funcionamento, um ano antes da data prevista para o fim da energia nuclear no país.

A decisão de eliminar progressivamente a energia nuclear e passar dos combustíveis fósseis para as energias renováveis foi tomada pela primeira vez pelo governo de centro-esquerda de Gerhard Schroeder em 2002.

A sucessora, Angela Merkel, pretendeu prolongar a vida útil das centrais nucleares alemãs, mas inverteu a sua decisão na sequência do desastre de Fukushima, no Japão, em 2011, e estabeleceu 2022 como o prazo final para o encerramento das mesmas.

Os três reatores que agora estão a ser encerrados foram ligados pela primeira vez em meados da década de 1980.

Juntos, forneceram eletricidade a milhões de lares alemães durante quase quatro décadas.

Uma das centrais - Brokdorf, localizada cerca de 40 quilómetros a noroeste de Hamburgo, no rio Elba, tornou-se um foco particular de protestos antinucleares que foram alimentados pela catástrofe de Chernobyl de 1986 na União Soviética.

As outras duas centrais são Grohnde, cerca de 40 quilómetros a sul de Hannover, e Grundremmingen, 80 quilómetros a oeste de Munique.

Na quinta-feira, os manifestantes do Greenpeace projetaram um grande texto numa das torres de arrefecimento da central de Grohnde com a leitura "Por uma Europa sem eletricidade gerada pela energia nuclear".