This content is not available in your region

Líder trabalhista pede a demissão de Boris Johnson

Access to the comments Comentários
De  Maria Barradas  com AP
euronews_icons_loading
Líder trabalhista pede a demissão de Boris Johnson
Direitos de autor  Fotograma AFP

No Reino Unido cresce a pressão para que Boris Johnson se demita, depois de serem conhecidas inúmeras festas em Downing Street, durante o confinamento, que obrigaram a pedidos de desculpa.

O primeiro-ministro diz esperar pelo resultado da investigação, mas a oposição não desarma. Numa conferência, este sábado, líder do Partido Trabalhista, Keir Starmer, reiterou o pedido, afirmando: "O que temos agora é uma situação de um primeiro-ministro que perdeu a autoridade moral para liderar. E justamente quando precisamos, porque ainda não estamos fora da pandemia, de um governo que tenha essa autoridade moral para liderar, perdemo-lo com este primeiro-ministro".

O gabinete de Johnson pediu desculpa à rainha e à família real na sexta-feira por realizar festas em Downing Street na noite que antecedeu o funeral do príncipe Filipe; na véspera Boris Johnson tinha pedido desculpa ao parlamento por ter participado numa festa em maio de 2020, durante o confinamento, numa altura em que os ingleses estavam confinados e não podiam visitar familiares e amigos nem participar em funerais.

Até agora, nenhuma das alegadas festas realizadas no n° 10 de Downing Street foi negada pelo gabinete do primeiro-ministro.

O Jornal britânico, The Mirror, diz mesmo este sábado que eram habituais todas as sexta-feiras.