O drama do trabalho infantil na Síria: Ibrahim, mecânico, 13 anos

O drama do trabalho infantil na Síria: Ibrahim, mecânico, 13 anos
Direitos de autor euronews
De  Yousef Gharibi
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Reportagem com uma de milhares de crianças obrigadas a trabalhar por culpa da guerra.

PUBLICIDADE

Numa zona industrial em Idlib, Ibrahim está ocupado a aparafusar um motor pesado. Das 8 às 19 horas, todos os dias, as costas deste jovem de 13 anos estão dobradas e as mãos manchadas de óleo, enquanto tenta seguir as instruções do patrão.

"Desatarraxo o motor, desatarraxo a transmissão automática e a junta da cabeça do cilindro. Faço tudo o que o meu chefe me manda fazer. Por vezes, quando os parafusos são difíceis, chamo o patrão para me ajudar. Gostaria de continuar a trabalhar como mecânico no futuro e ter o meu próprio negócio. Não terminei os estudos porque não deram atenção às escolas", conta o adolescente.

Gostaria de continuar a trabalhar como mecânico no futuro e ter o meu próprio negócio. Não terminei os estudos porque não deram atenção às escolas.
Ibrahim Saeed
Mecânico, 13 anos

Três em cada cinco crianças do noroeste da Síria estão sem educação, com apenas um terço das escolas a funcionar em pleno. O setor da educação tem muitos desafios a ultrapassar. Os salários continuam a ser o problema mais urgente, com os professores privados do ordenado durante vários meses, devido à falta de financiamento.

A deslocação em massa das populações, devido aos bombardeamentos da Rússia e do regime de Assad empurrou 90% dos sírios para a pobreza. Muitas crianças não tiveram outra escolha a não ser trabalhar para sustentar a família.

"Os bombardeamentos forçaram-nos a abandonar as nossas casas, à chuva, e tivemos de ir viver para o campo. Por vezes guardo 10 ou 20 liras turcas e dou o resto ao meu pai. Recebo 100 liras (7 euros) por semana", diz Ibrahim.

 Para muitas famílias da região, o trabalho infantil é um meio de sobrevivência. A UNICEF estima que as necessidades humanitárias na Síria aumentaram 27% desde 2020. As crianças fazem todos os tipos de trabalho, incluindo várias tarefas difíceis, algumas que são consideradas perigosas. A guerra é uma tragédia que rouba não só o presente das crianças, mas também o futuro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Síria: um narcoestado em ascensão?

Parlamento espanhol aprova reforma do mercado de trabalho

UE: uma em cada quatro crianças em risco de pobreza