This content is not available in your region

EUA e Rússia intensificam troca de acusações

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AP, AFP
euronews_icons_loading
EUA e Rússia intensificam troca de acusações
Direitos de autor  AP/Russian Defense Ministry Press Service

Os EUA acusam a Rússia de estar a preparar-se para, sob falsos pretextos, invadir a Ucrânia. Washington diz que Moscovo se prepara para, e entre outras coisas, divulgar um vídeo onde se encena um ataque militar ucraniano.

"Os russos recorreram a estas tácticas no passado, (...) empenharam-se em desinformação e propaganda para pintar a Ucrânia como agressor, fabricaram um pretexto para uma invasão e entraram".
Ned Price
Porta-voz da Casa Branca

Uma alegação que surge quando o número de tropas russas na fronteira ucraniana continua a aumentar. Ned Price explicava, em conferência de imprensa, que o governo russo tem várias opções e que uma delas é "a produção" de um "vídeo de propaganda (...) como pretexto para iniciar, e potencialmente justificar, uma agressão militar contra a Ucrânia".

O Kremlin continua a negar todas as acusações que lhe são feitas pela Casa Branca e acusa EUA e NATO de porem em causa a segurança da região.

"A Rússia manterá uma posição dura ao mesmo tempo que indica que não está a fechar a porta às conversações. (...) Acordos tão complexos não são alcançados numa atmosfera relaxante (...), pelo que todos os métodos de persuasão estão a ser utilizados, incluindo a demonstração de força".
Fyodor Lukyanov
Conselho para as Políticas Externas e de Defesa

O anúncio de Joe Biden do destacamento de 3.000 tropas para evitar um possível conflito não agrada a Moscovo. Mas o facto de a Rússia e a Bielorrússia iniciarem, na próxima semana, exercícios militares conjuntos é mais um motivo de preocupação para a Ucrânia que teme uma incursão russa desde 2014, altura em que o país anexou a Crimeia.

O presidente turco ofereceu-se, entretanto, para acolher uma cimeira para gerir a crise entre Ucrânia e Rússia.