Frank-Walter Steinmeier foi reeleito presidente da Alemanha

Frank-Walter Steinmeier foi reeleito presidente da Alemanha
Direitos de autor Fabian Sommer/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente da Alemanha foi reeleito para um novo mandato de cinco anos. Steinmeier contou com o apoio dos principais partidos do Bundestag

PUBLICIDADE

O Presidente alemão foi reeleito para um segundo mandato de cinco anos.

Frank-Walter Steinmeier prometeu curar as feridas deixadas pela pandemia e lutar contra os inimigos da democracia referindo o conflito entre a Rússia e a Ucrânia.

"Estamos no meio de um potencial conflito militar, uma guerra na Europa de Leste e, por isto, a Rússia tem responsabilidade", afirmou.

Steinmeier recebeu o apoio da maioria dos principais partidos políticos. O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse: "Frank-Walter Steinmeier demonstrou no passado que é capaz de fazer exactamente isso: falar diretamente com os cidadãos, assegurar a coesão na nossa sociedade, mas também fornecer orientação, e precisamos de orientação neste momento, dados os desafios que estamos a enfrentar em relação à pandemia, mas também, claro, em relação à segurança na Europa".

Agora reeleito, o presidente prometeu continuar a trabalhar no reforço da democracia na Alemanha e ajudar a afastar os receios do futuro,

O presidente da Alemanha tem pouco poder executivo, mas é considerado uma autoridade moral importante.

Antes de chegar à presidência, em 2017, Steinmeier, de 66 anos, serviu duas vezes como Ministro dos Negócios Estrangeiros da Chanceler Angela Merkel e anteriormente foi chefe de gabinete do Chanceler Gerhard Schroeder.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

AfD rejeita acusações de propaganda pró-russa a troco de dinheiro

Robert Habeck, vice-chanceler da Alemanha: A Europa deve afirmar-se e ser capaz de defender-se

Chanceler alemão Olaf Scholz tornou-se um grande problema para a Ucrânia