EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Reino Unido acaba com todas as restrições anticovid

Reino Unido acaba com todas as restrições anticovid
Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Boris Johnson anunciou uma mudança na estratégia do combate ao coronavírus

PUBLICIDADE

Boris Johnson disse esta segunda-feira que as últimas restrições contra o coronavírus vão acabar no Reino Unido, incluindo a exigência de auto isolamento das pessoas com covid-19. Segundo o primeiro-ministro britânico, o país está “a passar das restrições governamentais para a responsabilidade pessoal" num processo com vista a tratar a covid-19 como outras doenças transmissíveis, como a gripe.

Boris Johnson justificou a decisão com os níveis de imunidade muito elevados e com o facto de as mortes estarem agora muito abaixo do esperado para esta época do ano. “E é só porque sabemos que a Ómicron é menos severa e que os testes que temos vindo a fazer numa escala colossal são muito menos importantes e muito menos relevantes para a prevenção de doenças graves", afirmou o primeiro-ministro.

Os britânicos vão continuar a ser aconselhadas a ficar em casa se estiverem doentes, mas vão deixar de receber apoio financeiro se faltarem ao trabalho. A partir de abril, os testes PCR estarão disponíveis gratuitamente apenas para os mais velhos e para os imunodeprimidos. Alguns dos conselheiros científicos do governo falam de uma medida arriscada.

Martin McKee, professor na Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, lembra que apesar do Reino Unido estar atualmente numa trajetória descendente, ninguém sabe qual será a próxima variante. “Não há certezas sobre a próxima variante e é por isso que muitos de nós estamos preocupados com a possibilidade de estarmos a acabar com restrições mesmo antes de algo mais acontecer”, defende.

O novo plano do governo de Londres prevê vacinas e tratamentos que mantêm o vírus sob controlo. O governo vai oferecer a quarta dose da vacina contra a covid-19 às pessoas a partir dos 12 anos e aos que são vulneráveis a contrair doenças graves.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Transferência de tecnologia mRNA para África

Variante Ómicron prestes a dominar em Londres

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham