This content is not available in your region

Euronews acompanha repatriamento de brasileiros em Lviv

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Euronews acompanha repatriamento de brasileiros em Lviv
Direitos de autor  AP / Andriy Dubchak

Desde que os bombardeamentos começaram em Kiev há uma semana, muitas embaixadas estrangeiras retiraram-se para a cidade de Lviv, junto à fronteira ocidental da Ucrânia. Diariamente, as representações diplomáticas organizam a evacuação dos seus cidadãos da capital e o seu repatriamento.

A enviada da euronews cruzou-se com um grupo de brasileiros de partida para a fronteira polaca, para depois regressar a casa. O embaixador do Brasil na Ucrânia, Norton de Andrade Mello Rapesta, supervisionava a operação. Não há tempo para prestar declarações. Valérie Gauriat questionou apenas quantos brasileiros iam partir. A resposta: 16. Como muitos dos seus pares, o alto representante diplomático chefiaria a comitiva até à fronteira, antes de regressar a Lviv.

Diplomatas e jornalistas mantinham-se na cidade que consideravam, até agora, um porto seguro. A questão é por quanto tempo. A enviada da euronews, agora em Lviv, regressa ao hotel no momento em que há um alerta de ataque aéreo. É-lhe pedido para ir para o abrigo. Como em todos os hotéis da cidade a maioria dos clientes já só são deslocados, diplomatas, membros de organizações internacionais ou jornalistas.

O alerta durou pouco tempo, como referia Valérie Gauriat. Os funcionários contaram-lhe que tinha havido outro na quinta-feira e seis no dia anterior. Portanto, já "não há nenhum lugar que pareça seguro, na Ucrânia, referia a repórter

Entretanto, comboios de ajuda humanitária estão a ser enviados de Lviv para a capital ucraniana, mais do que nunca preparando-se para novos ataques russos e para um futuro de grande imprevisibilidade.

Outras fontes • Valérie Gauriat