EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Coreia do Sul regista mais de 620 mil infeções diárias por Sars-Cov2

Sul-coreanos são testados quando se batem recordes de casos de Covid-19
Sul-coreanos são testados quando se batem recordes de casos de Covid-19 Direitos de autor Ahn Young-joon/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Ahn Young-joon/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Coreia do Sul está a bater recordes de infeções por Sars-Cov2, com mais de 620 mil casos em 24 horas, numa altura em que o país reduz as restrições

PUBLICIDADE

A Coreia do Sul registou um número recorde diário de mais de 620 mil infeções por Sars-Cov 2, o valor mais elevado desde o início da pandemia, há dois anos.

A variante Omicron intensifica os contágios, numa altura em que o governo alivia as restrições, deixando os sul coreanos divididos sobre a forma de lidar com esta fase da pandemia.

Chun Young-ho, um funcionário da embaixada de França em Seul afirma: "Penso que o governo não deve estabelecer qualquer restrição por causa do coronavírus. Devem levantar todas as restrições e deixar as pessoas fazerem o que querem fazer. Creio que as pessoas já aprenderam, nos últimos anos, a gerir-se a si próprias".

Já a jovem Moon Chae-rim diz: "Sinceramente, sinto que o governo deveria reforçar as restrições porque os números estão a aumentar exponencialmente. Penso que é porque o governo aliviou as restrições, mesmo sabendo que a resposta inicial foi fundamental para conter a pandemia".

Segundo Organização Mundial da Saúde (OMS), a Coreia do Sul é o país com mais casos registados nos últimos sete dias, com mais de 2 milhões e 300 mil infeções, seguida pelo Vietname com quase um milhão e oitocentas mil.

Seul abandonou o seu programa "rastrear, testar e tratar" no mês passado, uma vez que um surto dramático nos casos Omicron ameaçava sobrecarregar o seu sistema de saúde.

A maioria da população tem a vacinação completa e o reforço e a taxa de mortalidade continua muito baixa.

Ainda assim, esta quinta-feira foram registadas 429 mortes, mais 140 do que no dia anterior.

O governo decidiu que a partir de 21 de março deixa de ser obrigatória a quarentena para viajantes, mas mantém-se o recolher obrigatório e a limitação de reuniões de grupo a seis pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Exercícios antiterrorismo na Coreia do Sul

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Rishi Sunak pede desculpa aos familiares das vítimas da Covid-19