This content is not available in your region

Novo recolher obrigatório em Kiev

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Centro comercial destruído em Kiev, Ucrânia
Centro comercial destruído em Kiev, Ucrânia   -   Direitos de autor  ARIS MESSINIS/AFP or licensors

No noroeste da capital ucraniana, uma montanha de destroços, onde antes havia um centro comercial: o resultado de um bombardeamento russo na noite de domingo para esta segunda-feira, que fez pelo menos oito mortos.

Kiev instaurou um novo recolher obrigatório noturno, pelo menos até quarta-feira, enquanto o presidente Volodymyr Zelenskyy lançava um novo apelo "sonoro" ao Ocidente:

"Por favor, deixem de patrocinar as armas de guerra da Rússia. Nada de euros para os ocupantes. Fechem-lhes os vossos portos, não lhes enviem quaisquer produtos, neguem-lhes as fontes de energia e empurrem a Rússia para que saia da Ucrânia."

Entretanto, os serviços de emergência ucranianos dizem ter controlado uma perigosa fuga de amoníaco registada numa fábrica de fertilizantes, em Sumy, no leste do país, que as autoridades locais dizem ter sido bombardeada pela aviação russa.

O Exército russo atribuiu a responsabilidade do incidente a "nacionalistas ucranianos".

Igor Konashenkov, porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia:"Em Sumy, teve lugar uma provocação planeada por nacionalistas ucranianos. O Ministério da Defesa da Rússia avisou oficialmente para esta provocação há vários dias."

As autoridades russas difundiram, pela mesma ocasião, imagens de veículos militares na região de Sumy, junto à fronteira com a Rússia, afirmando que "continuam a bloquear posições das Forças Armadas Ucranianas e de batalhões nacionalistas".

Em Odessa, as autoridades locais dizem que várias casas foram bombardeadas esta segunda-feira, sem no entanto fazer vítimas.

A grande cidade portuária junto ao Mar Negro prepara-se para a chegada de tanques russos e, este domingo, a Cruz Vermelha colaborou em várias operações de evacuação.