Balé pela paz na Ucrânia

Bailarinos russos e ucranianos juntos em espetáculo em prol do fim da guerra
Bailarinos russos e ucranianos juntos em espetáculo em prol do fim da guerra Direitos de autor AP Photo/Alessandra Tarantino
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em Nápoles, a prima ballerina russa Olga Smirnova, e a prima ballerina ucraniana Anastasia Gurskaya dançam juntas num espetáculo em prol do fim da Guerra na Ucrânia

PUBLICIDADE

Dos ventos da guerra até às asas da dança.

Bailarinos da Ucrânia, Rússia e outros países dançaram juntos no Teatro de San Carlo, na cidade italiana de Nápoles, numa gala de angariação de fundos para o povo ucraniano.

Os bailarinos pretenderam enviar uma mensagem de paz e esperança, liderados pela russa Olga Smirnova, que deixou o Teatro Bolshoi em Moscovo e o seu próprio país para protestar contra a guerra, e pela ucraniana Anastasia Gurskaya, que fugiu de Kiev.

"Penso que é importante nesta situação, neste momento, estarmos juntos no palco, fazer uma pequena coisa, a mais pequena coisa que podemos fazer pela Ucrânia. Penso que este é o objetivo principal para todos nós", refere Smirnova.

Já Gurskaya acredita "que todos devem ajudar, agora, a Ucrânia e sinto-me realmente honrada por poder fazê-lo, apenas tentar fazê-lo. É realmente importante para mim".

"Olga e Anastasia são duas prima ballerinas mundialmente famosas, mas por uma vez vão pôr de lado o seu estatuto e dançar no mesmo palco. Russos e ucranianos unem os seus talentos e corações para dizer NÃO a esta guerra sem sentido", relata o jornalista da euronews, Luca Palamara.

Os bilhetes para a Gala esgotaram em poucos dias. No entanto, o espetáculo foi alvo de protestos do consulado e da comunidade ucraniana em Nápoles, condenando a presença de russos a dançar ao lado de ucranianos.

Não é fácil enviar mensagens de paz na sequência de notícias e imagens de alegados crimes de guerra perpetrados pelos soldados russos contra civis ucranianos.

O diretor artístico do Teatro de San Carlo, Stéphane Lissner, conta que "quando se juntaram para começar a ensaiar, ucranianos e russos abraçaram-se com uma grande gravidade. Não houve alegria naquele encontro. Houve uma gravidade, porque alguns deles têm pais na Rússia que são contra a sua decisão de deixar o país".

"É uma história de amizade. A dança não tem fronteiras nem nacionalidades. Estaremos todos juntos no palco esta noite, com um único objetivo: mostrar às pessoas que estamos a defender a Ucrânia e que fazemos algo, mesmo que seja apenas um espetáculo. Pelo menos fazemos alguma coisa", sublinha o promotor do evento, Alessio Carbone.

Os fundos arrecadados revertem a favor do povo da Ucrânia

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Buraco abre-se em rua de Nápoles e engole dois carros

Mural gigante de Maradona será salvo da demolição, garante Câmara de Nápoles

Solo treme mais do que o habitual em Campi Flegrei, região vulcânica perto de Nápoles