EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cidadãos e governantes europeus definem propostas para melhorar a União Europeia

Eurodeputado Guy Verhofstadt na Conferência pelo Futuro da Europa
Eurodeputado Guy Verhofstadt na Conferência pelo Futuro da Europa Direitos de autor Francois Walschaerts, Pool via AP
Direitos de autor Francois Walschaerts, Pool via AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Representantes dos cidadãos e das instituições europeias resumem lista final de recomendações para um bloco europeu mais inclusivo, mais sustentável e mais célere

PUBLICIDADE

Uma União Europeia mais sustentável, resiliente, com acesso a melhores cuidados de saúde e uma economia mais inclusiva, por exemplo no mercado de trabalho, são alguns dos desejos na base das propostas dos cidadãos para o futuro da Europa. Acabar com o travão da unanimidade de voto é uma 49 propostas.

Representantes oriundos dos 27 Estados-membros e das instituições europeias condensaram esses desejos  numa lista de 49 propostas definidas este sábado no derradeiro Plenário da Conferência sobre o Futuro da Europa.

Kacper Parol é um jovem cidadão europeu, oriundo da Polónia, um dos países em atrito com a Comissão Europeia devido à reforma judicial contrária às regras comunitárias, e esteve neste plenário realizado no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, integrado "num grupo de trabalho para o reforço da economia, justiça social e emprego".

"Procurei contribuir com uma perspetiva jovem para grandes problemas como o acesso à habitação e ao primeiro emprego para um estudante", explicou, em declarações à Euronews.

Os representantes dos cidadãos que participaram nestes eventos veem na Conferência sobre o Futuro da Europa uma porta aberta para um novo capítulo na democracia europeia.

A irlandesa Aoife O’Leary diz terem sido feitas "propostas importantes para a educação, sobre o reconhecimento mútuo de diplomas e sobre um padrão educativo socialmente fiável".

"Penso poder ter um grande impacto. Como alguém disse, a democracia na Europa vai ter de mudar depois disto. Não voltaremos a ter uma democracia representativa. Vamos ter o envolvimento dos cidadãos", perspetivou a irlandesa.

O eurodeputado belga Guy Verhofstadt foi um dos altos responsáveis europeus no plenário e concordou com a necessidade de reformar, por exemplo, o processo de tomada de decisões na União Europeia.

"Uma das principais propostas é acabar com o direito de veto na União Europeia. É preciso parar com a unanimidade de voto nos processos de decisão porque com a unanimidade vamos ficar sempre aquém e atrasados na União Europeia", considerou o carismático eurodeputado liberal democrata belga.

Muitas das propostas, se aceites, vão necessitar de alterações nos tratados europeus. Apesar da oposição de alguns estados-membros a estas mudanças, a Comissão Europeia garante analisar as propostas com seriedade, afirmou Dubravka Šuica.

"As instituições são sérias o suficiente e os cidadãos vão cobrar-nos se não fizermos nada. Por isso, estou certa de que lhes vamos dar seguimento e tentar dar o nosso melhor para integrar as ideias, as esperanças e as preocupações dos cidadãos", disse à Euronews a vice-presidente croata da Comissão Europeia.

As propostas finais vão ser entregues aos líderes europeus no Dia da Europa, a 9 de maio, mas "depois serão ainda preciso meses para decidir se essas rcomendações são aprovadas ou não", antecipa Sandor Zsiros, o enviado especial da Euronews a Estrasburgo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Futuro da União Europeia debatido em Itália

Dia do Trabalhador de Lisboa a Moscovo e com apoio a Putin à mistura

Vitórias sobre os populismos na Europa