This content is not available in your region

Bielorrússia condena Sofia Sapega a seis anos de prisão

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Sofia Sapega no tribunal
Sofia Sapega no tribunal   -   Direitos de autor  Leonid Shcheglov/BelTA

Um tribunal da Bielorrússia condenou Sofia Sapega a seis anos de prisão sendo considerada culpada de incitamento ao ódio social, recolha ilegal de dados pessoais, entre outras acusações.

A sentença é conhecida cerca de um ano após a jovem russa ter sido detida logo depois de ter sido retirada de um avião da Ryanair juntamente com o namorado, o jornalista Roman Protasevich.

O dissidente bielorrusso está em prisão domiciliária na Bielorrússia, onde aguarda julgamento. No último ano, o jovem apareceu em vários vídeos, divulgados pelo regime de Alexander Lukashenko onde confessa os alegados crimes de que é acusado.

Os seus apoiantes alegam que o fez sob coação.

Protasevich e Sapega foram detidos a 23 de maio de 2021 depois do avião onde viajam da Grécia para a Lituânia ter sido desviado e forçado, a aterrar em Minsk, na Bielorrússia.

Uma ação que mereceu a forte condenação da União Europeia que impôs sanções ao regime de Minsk.

Roman Protasevich foi editor-chefe do Nexta, um canal na internet que desempenhou um papel central na onda de protestos após a reeleição do presidente Alexander Lukashenko, em 2020.

A líder da oposição bielorrussa, Sviatlana Tsikhanouskaya, lamentou, no Twitter, a sentença de Sapega, referindo que a jovem russa se tornou num "dano colateral" e que ninguém deveria "sofrer por causa da ditadura" de Lukashenko