EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ucrânia critica Hungria por recusar embargo ao petróleo russo

Ucrânia reivindica baixas importantes nas tropas russas
Ucrânia reivindica baixas importantes nas tropas russas Direitos de autor SERGEY BOBOK/AFP
Direitos de autor SERGEY BOBOK/AFP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

MNE ucraniano Dmytro Kuleba foi convidado para o encontro de ministros do G7 e criticou "falta de união" entre os países da UE sobre as sanções à Rússia.

PUBLICIDADE

Os chefes da diplomacia dos sete países mais industrializados do mundo quiseram mostrar, mais uma vez, o apoio incondicional à Ucrânia. O ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, foi convidado para se juntar aos colegas dos países do G7, na Alemanha.

Um dos pedidos de Kuleba é que os bens confiscados à Rússia sejam entregues à Ucrânia. O ministro deixou ainda críticas à Hungria, por recusar impor um  embargo ao petróleo russo: "Se este pacote de sanções for adotado sem embargo ao petróleo, o presidente Putin pode festejar, porque vai ser o primeiro caso em que a unidade da União Europeia é quebrada por causa da posição de um único país - a Hungria".

O presidente Putin pode festejar, porque vai ser o primeiro caso em que a unidade da União Europeia é quebrada por causa da posição de um único país.
Dmytro Kuleba
MNE ucraniano

Serguei Lavrov, chefe da diplomacia de Moscovo, respondeu à Ucrânia a partir da reunião de ministros da Comunidade de Estados Independentes, no Tajiquistão, onde deixou recados à União Europeia, a propósito da intenção do governo de Kiev de se juntar ao bloco.

"A Ucrânia tenta, por todos os meios, enfatizar a aspiração de se juntar à União Europeia. Tenho dúvidas quanto ao caráter inócuo desse desejo, já que a União Europeia, concebida como plataforma económica e construtiva, se tornou um ator beligerante e agressivo", disse Lavrov.

Tenho dúvidas quanto ao caráter inócuo desse desejo (da Ucrânia se juntar à UE).
Serguei Lavrov
MNE russo

Ministros da defesa dos EUA e Rússia retomam diálogo

Os Estados Unidos têm-se mostrado incondicionalmente do lado da Ucrânia, mas o diálogo com a Rússia foi agora retomado. Segundo anunciou o porta-voz John Kirby, o secretário da defesa Lloyd Austin teve uma conversa telefónica com o ministro da Defesa russo, Serguei Shoygu, o que aconteceu pela primeira vez desde antes do início da guerra na Ucrânia.

No terreno, o cenário de destruição vai aumentando. A Ucrânia anunciou novas baixas de peso infligidas aos russos. Segundo fontes das tropas ucranianas, a Rússia sofreu um revés ao tentar passar o rio Donets para tentar controlar o sul do Donbass. O lado russo terá perdido 70 unidades de equipamento e dois batalhões de infantaria em apenas quatro dias.

A Rússia anuncuou, entretanto, que deixaria de fornecer eletricidade à Finlândia, como represália pela vontade de Helsínquia de se juntar à NATO.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ucrânia reclama avanço em Kharkiv

Secretário-geral da NATO considera que a Rússia está limitada

Turquia contra Suécia e Finlândia na NATO