This content is not available in your region

Paramédica ucraniana capturada em Mariupol permanece desaparecida

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Yulia Paevskaya
Yulia Paevskaya   -   Direitos de autor  Yuliia Paievska/AP

A paramédica e voluntária ucraniana Yulia Paevskaya registou em Mariupol vários vídeos durante as duas primeiras semanas do conflito na Ucrânia.

As imagens foram captadas através de uma câmara de corpo. 

Os vídeos mostram a paramédica e a equipa a salvarem residentes e militares incluindo soldados, ao que tudo sugere, russos.

Paevskaya teria conseguido entregar um cartão de memória com os vídeos a jornalistas da AP antes de ser capturada. O seu paradeiro não é conhecido.

"Acredito que ela vai regressar. Faremos o nosso melhor. Cada um de nós fará tudo para garantir que eles voltem inteiros. Ela e o motorista, que foram capturados juntos", afirma Olena Monova, voluntária e amiga de Paievska.

Yulia Paevskaya, igualmente conhecida como Tayra, teria sido capturada no dia 16 de março por forças russas e acusada de ligação ao batalhão Azov que a Rússia acusa de neo-nazismo.

Segundo a Rússia, esta semana ter-se-iam rendido em Mariupol cerca de 1,700 combatentes ucranianos.

""Não posso dizer que ela seja uma espécie de radical ou nazi. Ela, como uma verdadeira médica, é apolítica e ajuda todos os que dela necessitam", admite Sergei Chernobrivets, igualmente paramédico originário de Mariupol. 

O paradeiro da paramédica permanece desconhecido; a Rússia negou que tenha sido capturada.