EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Desperdício de produtos agrícolas no Reino Unido

A quinta LJ Betts, em Kent, no Reino Unido.
A quinta LJ Betts, em Kent, no Reino Unido. Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Luke Hanrahan
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Programa para mitigar escassez de mão de obra prolongado.

PUBLICIDADE

Este ano, grande parte dos legumes cultivados numa quinta na região britãnica de Kent, foram já desperdiçados, devido à falta de mão de obra. Desde o início do ano passado, o responsável pela quinta, Nicholas Ottley, não consegue encontrar trabalhadores.

"Este ano, já deitámos fora cerca de 150 toneladas de legumes, equivalentes a 30% da colheita."
Nicholas Ottley, gerente, LJ Betts Ltd.

Antes do Brexit, encontrava trabalhadores no leste da Europa mas agora tem que procurar no Uzbequistão, Kazaquistão e Tajiquistão. Questionado sobre a eventual utilização de mão de obra local, responde que não consegue encontrar trabalhadores.

"A solução da mão de obra local é pura retórica pois tenho feito tudo para encontrar britânicos, mas sem sucesso. Estou em contacto há quatro anos com o centro de emprego da cidade de Maidstone mas ainda não consegui encontrar uma só pessoa através do centro."
Nicholas Ottley, gerente, LJ Betts Ltd.

A 160 km de distância, no oeste de Sussex, um dos maiores produtores de hortaliças do Reino Unido está a braços com o mesmo desafio.

Este ano foi excecionalmente difícil encontrar mão de obra e têm havido atrasos no envio de trabalhadores através do programa de emprego sazonal do governo.
Julian Marks, Barfoots of Botley, Ltd.

O programa de emprego sazonal do governo britânico oferece vistos de curta duração a trabalhadores agrícolas. Este ano, os produtores podem recrutar 30.000 migrantes, ou mesmo 40.000, em caso de necessidade.

Mas ainda não foi autorizada a entrada dos 10.000 migrantes extra, para mitigar a escassez de mão de obra durante os períodos de pico de produção. Os agricultores esperam ter em breve esta autorização, antes que seja tarde demais.

A batalha para encontrar trabalhadores está a ser quase tão difícil como no ano passado, quando, numa só quinta do país, se desperdiçaram 600 toneladas de produtos agrícolas. Os agricultores dizem que, a menos que mais migrantes sazonais sejam autorizados a trabalhar, muitas quintas terão de fechar as portas.

O recrutamento e documentação dos migrantes demora no mínimo duas ou três semanas e as colheitas não podem esperar, porque uma vez que crescem para além de um certo ponto, não obedecem às normas de retalho do Reino Unido e vão para o lixo.
Julian Marks, Barfoots of Botley, Ltd.

Em resposta ao deasafio de mão de obra na agricultura, o governo britânico prolongou o programa de recrutamento de trabalhadores sazonais até o final de 2024 e deverá anunciar em breve novas medidas, com vista a atraír trabalhadores britânicos para o setor.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Inflação ameaça agravamento dominó na agricultura

Falta de trabalhadores sazonais afeta a agricultura italiana

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido