This content is not available in your region

Alemanha quer solução para exportar trigo ucraniano

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
"É uma crise de fome que paira sobre nós como uma onda que ameaça a vida", dir a chefe da diplomacia alemã.
"É uma crise de fome que paira sobre nós como uma onda que ameaça a vida", dir a chefe da diplomacia alemã.   -   Direitos de autor  Bernd von Jutrczenka/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten

A Alemanha acusou Vladimir Putin de "usar a fome como arma", e salientou que é preciso encontrar formas alternativas permanentes de exportar trigo ucraniano e de pôr fim à dependência das exportações russas.

Berlim recordou que as exportações ucranianas de cereais caíram de cinco milhões de toneladas por mês, antes da guerra, para 350.000 no início da invasão russa.

A ministra germânica dos Negócios Estrangeiros afirmou que esta "é uma crise de fome que paira sobre nós como uma onda que ameaça a vida. Algumas das razões não são novas: conflitos regionais, especialmente no Afeganistão, domínio dos Talibãs, secas, consequências da crise climática e também as consequências da Covid-19, mas foi a guerra de agressão de Rússia contra a Ucrânia que transformou uma onda num tsunami". Annalena Baerbock recordou, ainda, que 345 milhões de pessoas em todo o mundo estão seriamente ameaçadas pela escassez de alimentos devido a conflitos regionais, secas, as consequências das alterações climáticas e o impacto da pandemia do novo coronavírus.

Numa conferência ministerial híbrida do G7, em Berlim, sobre Segurança Alimentar Global, o secretário-geral das Nações Unidas alertou para o "risco real" de serem declaradas várias fomes este ano. António Guterres frisou, ainda que há "catástrofes" iminentes em vários países, por isso "2023 pode ser ainda pior".