This content is not available in your region

Comissão Europeia e ONU definem prioridades mundiais em Nova Iorque

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Ursula Von der Leyen e António Guterres em Nova Iorque, EUA
Ursula Von der Leyen e António Guterres em Nova Iorque, EUA   -   Direitos de autor  Extrato de imagens recolhidas por AP

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, e o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, estão reunidos, desde quinta-feira, em Nova Iorque, na sede da ONU, para uma conferência inédita. As duas instituições propõem-se a sair do encontro tendo definido os principais desafios do multilateralismo e as prioridades de ação no atual contexto internacional, marcado pelas alterações climáticas e a guerra na Ucrânia.

A União Europeia é, de acordo com o secrtário-geral da ONU, um dos parceiros financeiros mais fortes das Nações Unidas. A mais-valia é apontada por Guterres para responder às necessidades urgentes dos países em desenvolvimento e fazer face aos desafios do desenvolvimento sustentável a nível global.

"A UE e a ONU estão a trabalhar em conjunto para enfrentar as consequências" da pandemia de covid-19 e dos efeitos da invasão russa além das fronteiras ucranianas.

Mas de acordo com o líder das Nações Unidas, que defendeu a exploração de medidas para aliviar os problemas financeiros e os efeitos sobre alimentos e energia, "nenhum país pode resolver estes problemas sozinho". 

"Precisamos mais do que nunca de multilateralismo, mas não de qualquer tipo de multilateralismo, porque nenhuma organização pode também resolver sozinha os problemas deste mundo. Precisamos do multilateralismo em rede. E a parceria entre a União Europeia e a ONU é um pilar fundamental deste multilateralismo em rede", afirmou o secretário-geral da ONU.

Já a presidente da Comissão Europeia recordou que "ainda mal tínhamos recuperado da pandemia de covid-19, quando a Rússia iniciou a invasão sem sentido e atroz na Ucrânia com efeitos terríveis não só para a população da Ucrânia que está a sofrer horrivelmente, mas também com enormes repercussões a nível global desta guerra sem sentido".

O fim dos trabalhos está agendado para esta sexta-feira, altura para a qual está prevista uma conferência de imprensa conjunta entre Von der Leyen e Guterres.