This content is not available in your region

Paira a incerteza sobre a visita de Pelosi a Taiwan

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi
Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi   -   Direitos de autor  ROSLAN RAHMAN/AFP or licensors

A presidente da câmara dos representantes norte-americana, Nancy Pelosi, reuniu-se esta segunda-feira com funcionários em Singapura, na primeira etapa de um périplo pela Ásia.

A possível deslocação de Pelosi a Taiwan permanece uma incógnita, por entre ameaças já anunciadas pela China.

As imprensas norte-americana e de Taiwan afirmam que a alta funcionária chegará à ilha na terça-feira à noite e que já estariam agendados encontros com funcionários governamentais.

Esta segunda-feira, a China voltou a avisar os Estados Unidos no sentido de evitar esta visita afirmando que estão preparados para "defender a sua soberania e integridade territorial".

"Gostaríamos de avisar uma vez mais os EUA de que estamos totalmente preparados. O Exército de Libertação do Povo está sempre alerta", alertou Zhao Lijian, porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros.

Os peritos reconhecem que esta visita pode suscitar uma resposta musculada por parte de Pequim.

Os chineses já fizeram alguns avisos bastante explícitos. Prevejo que façam algo sem precedentes. Lembremos que em 1996 dispararam mísseis em torno de Taiwan, o que era muito perigoso e tinham uma capacidade militar muito limitada na altura. Desta vez, penso que farão algo ainda mais provocador. Talvez pilotando um avião militar no espaço aéreo territorial de Taiwan, que se situa num raio de 12 milhas náuticas. Algo que nunca antes fizeram", defende Bonnie Glaser, diretora do Programa Ásia na consultora German Marshall Fund.

Na semana passada, as forças militares de Taiwan publicaram imagens de exercícios militares de simulação de um ataque da China contra o território.