Ucrânia proíbe habituais celebrações nos dias nacionais e deixa pedido

Cleared
Cleared Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Zelenskyy teme novos ataques nos dias 23 e 24 de agosto, Dia da Bandeira Nacional e Dia da Independência da Ucrânia

PUBLICIDADE

A Ucrânia decidiu proibir as habituais festas nos dois dias de celebrações nacionais e deixou um pedido aos ucranianos que estão no estrangeiro: Mostrem a bandeira nacional.

Os dias 23 e 24 de agosto são dias importantes para a Ucrânia. Esta terça-feira assinala-se o Dia Nacional da Bandeira Nacional e quarta-feira o Dia da Independência do país.

Zelenskyy teme novos ataques nestas datas. Altura em que também se assinalam os seis meses do início da ofensiva russa. O presidente ucraniano proibiu as celebrações do costume para evitar aglomerações. Mas deixou um pedido a quem está fora do país.

No discurso que faz diariamente, Zelenskyy pediu aos ucranianos que estão no estrangeiro que "falem da Ucrânia, usem a bandeira nacional e espalhem a verdade sobre os crimes cometidos pelos ocupantes". 

Liga de Futebol com novas regras

Em dias que se avizinham mais perigosos, também as equipas de futebol estão em alerta. A Liga arranca esta semana mas com novas regras. Os jogos serão à porta fechada, o exército estará a acompanhar os encontros e todos os estádios têm de ter abrigos aéreos, em caso de ataque.

A indicação do governo é, quando as sirenes soarem, todos os jogadores terão de parar o jogo e recorrer a um abrigo subterrâneo. 

Número de vítimas de ataque em Kharkiv sobe para 25

Em Kharkiv, na semana passada, um míssil russo atingiu um edifício de três andares na zona de Saltiv.

Morreram 25 pessoas, incluindo várias crianças. A operação de resgate terminou na segunda-feira. Há ainda oito corpos por identificar. No hospital, há 40 pessoas ainda internadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy junta líderes mundiais para discutir a Crimeia

UE pondera treinar soldados ucranianos

Rússia culpa Ucrânia pelo atentado bombista que matou Darya Dugina