This content is not available in your region

Alemanha vai ter hidrogénio do Canadá

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira
euronews_icons_loading
Justin Trudeau e Olaf Scholz
Justin Trudeau e Olaf Scholz   -   Direitos de autor  Adrian Wyld/AP

A Alemanha vai ter hidrogénio proveniente do Canadá. Num esforço para reduzir a dependência energética da Rússia, os dois países assinaram um acordo que representa uma aposta nesta que muitos consideram a energia do futuro. O documento foi assinado na província canadiana de Terra Nova e Labrador, de onde partirão os primeiros navios com hidrogénio em 2025.

"A invasão da Ucrânia acelerou o caminho para um futuro que já antevíamos. Um futuro em que não nos limitamos a reduzir a dependência do petróleo e do gás da Rússia, mas de qualquer petróleo e gás", disse o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau.

O Canadá está na primeira linha para a produção do chamado "hidrogénio verde", como o chanceler Olaf Scholz fez notar: "O Canadá é um país parceiro com as mesmas ambições que nós. A curto prazo, falamos de gás natural liquefeito (GNL), mas a longo prazo o potencial está no hidrogénio verde, proveniente das províncias atlânticas do Canadá, ventosas e pouco povoadas", disse.

Prosseguindo a aposta nas energias alternativas, foi também a pensar não só no gás, como no "hidrogénio verde", nomeadamente produzido em Portugal, que a Alemanha propôs a construção de um gasoduto com origem no Porto de Sines e que atravessa a Europa Ocidental. Um projeto que, para já, conta com a oposição de França.