Junta escolar de Uvalde despediu o chefe da polícia

Uvalde
Uvalde Direitos de autor Eric Gay/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A junta escolar de Uvalde, no Texas, votou o despedimento do chefe da polícia por não ter reagido ao tiroteio que matou 19 crianças e duas professoras

PUBLICIDADE

A Junta Escolar de Uvalde, no Texas, votou por unanimidade e com efeito imediato, o despedimento do chefe da polícia responsável pela segurança, em maio, aquando do tiroteio em que foram mortas 19 crianças e duas professoras.

Pedro Arredondo é acusado pela comunidade de não ter respondido a tempo. Segundo a investigação, os agentes sob as suas ordens demoraram 77 minutos a intervir.

Arredondo já tinha sido suspenso do cargo no dia 22 de junho, mas não tinha renunciado. A suspensão foi decidida no dia a seguir ao testemunho do Diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas, Steven McCraw, que disse perante a comissão do senado estadual que Arredondo "tomou decisões terríveis" enquanto se produzia o massacre na escola.

Segundo McCraw, havia polícias suficientes para responder ao tiroteio num período de três minutos, após a entrada do assassino na escola, mas os polícias armados esperaram 77 minutos no exterior, enquanto o agressor perpetrava o massacre em duas salas de aulas.

O governo norte-americano está a investigar a resposta da polícia e ainda não foram divulgadas conclusões que permitam saber porque é que os agentes demoraram tanto tempo a confrontar o atacante.

O tiroteio de Uvalde foi o segundo mais mortífero numa escola nos Estados Unidos na última década. Em 2012, na escola de Sandy Hook, em Newton, no Connecticut, foram assassinadas 26 pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Atirador de Colorado Springs é condenado a prisão perpétua

Atirador mata duas pessoas em escola secundária nos EUA

Tiroteio em festa no Alabama mata quatro pessoas