Inundações no Paquistão fazem pelo menos 1061 mortos

Os números negros poderão vir a agravar-se nos próximos dias
Os números negros poderão vir a agravar-se nos próximos dias Direitos de autor ASIF HASSAN/AFP or licensors
Direitos de autor ASIF HASSAN/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dados são do último balanço da Autoridade Nacional de Gestão de Catástrofes (NDMA). Há quase um milhão de casas destruídas ou completamente danificadas

PUBLICIDADE

As inundações no Paquistão, provocadas pelas chuvas das monções que começaram em junho, continuam a não dar tréguas.

De acordo com o último balanço da Autoridade Nacional de Gestão de Catástrofes (NDMA) há registo de pelo menos 1061 mortos e de 33 milhões de afetados, o equivalente a um em cada sete paquistaneses.

Muitas pessoas não têm alimentos nem água potável, como acontece no Baluchistão, no sul do pais, uma das areas mais afetadas.

Várias casas de famílias ficaram completamente submersas. 

O governo deslocou o Exército para o terreno nesta província vizinha do Afeganistão para colocar a salvo pessoas bloqueadas pela água.

O primeiro-ministro, Shehbaz Sharif,decretou estado de emergência.

"O governo central anuncia a canalização de 10 mil milhões de rupias para a província do Baluchistão. Em conjunto com o governo regional, a autoridade nacional de gestão de catástrofes vai planear trabalhos de apoio", acrescentou Sharif.

Os números podem agravar se. Por causa das inundações dos rios, o sul do país antecipa mais complicações nos próximos dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ajuda internacional chega ao Paquistão

Cenário "apocalítico" no Paquistão

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão