Cabo submarino vai transportar energia egípcia para a Grécia

União Europeia considera o projeto "de interesse comum".
União Europeia considera o projeto "de interesse comum". Direitos de autor Euronews
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Objetivo é proporcionar alternativa eficiente, barata e renovável aos combustíveis fósseis e gás natural da Rússia.

PUBLICIDADE

Ligar a Europa ao Egito, através da Grécia, é uma das formas de assegurar um fornecimento de energia mais abundante e mais barata.

É o que pretende um cabo submarino, com capacidade de três mil megawatts, que vai ligar o norte do Egito à província de Ática, na Grécia. O projeto é do grupo grego Copelouzos. A direção encontrou-se há pouco tempo com os líderes egípcios para acelerar o processo.

Ioannis Karydas, CEO  da filial de renováveis do grupo Copelouzos, explica: "Ao trazer três mil megawatts de energia limpa para a Europa, através da Grécia, estamos a ajudar a Europa a livrar-se dos combustíveis fósseis e do gás natural da Rússia. A energia limpa que transportamos vai ser muito mais barata que os preços atuais da energia, o que vai ajudar os clientes gregos e europeus".

O projeto está orçado em 3,5 mil milhões de euros e é considerado "projeto de interesse comum" por parte da União Europeia. A energia que transporta é produzida no Egito e outros países de África, através de painéis solares ou parques eólicos.

Cerca de um terço será consumido na Grécia, sobretudo nas indústrias, outro terço será exportado para outros países e o restante será usado na Grécia, para a produção de hidrogénio verde. A maior parte desse hidrogénio será exportada para países europeus vizinhos.

O Egito completou recentemente ligações com a Líbia, o Sudão e a Arábia Saudita. Pretende ser um "hub" de energia para o sudeste europeu. Este projeto estará operacional dentro de sete a oito anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governos europeus pedem para baixar consumo de energia

Ucrânia, energia e reformas dominam discurso sobre Estado da UE

Arranca novo julgamento dos quatro egípcios acusados de matar estudante italiano Giulio Regeni