This content is not available in your region

Total investe 1,5 mil milhões de dólares na produção de gás no Qatar

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Gigante energético francês, Total
Gigante energético francês, Total   -   Direitos de autor  Jan Woitas/(c) Copyright 2022, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten   -  

A TotalEnergies francesa vai investir 1,5 mil milhões de dólares na expansão de produção de gás natural no Qatar, no projeto Nort Field South.

Com o fechar das torneiras na Rússia, a Europa vira-se para o gás do Qatar que antes rejeitava. Há conversações também com a Grã-bretanha, Alemanha e Estados Unidos. 

Estima-se que o Nord Field South tenha 10% das reservas mundiais de gás natural.

O gigante francês da energia terá uma participação de 9,3% no projeto e será o primeiro parceiro estrangeiro do vasto campo de exploração, anunciou o ministro da Energia do Qatar, Saad Sherida Al-Kaabi, numa conferência de imprensa ao lado do chefe executivo da TotalEnergies, Patrick Pouyanne.

Kaabi disse que a TotalEnergies também ajudaria a financiar a extração de gás do Campo Norte Sul, do qual 25% será reservado a empresas energéticas estrangeiras.

O papel "estratégico reforçado" do grupo energético francês na expansão do gás do Qatar, ajudará o país a aumentar a sua produção de Gás Natural Liquefeito (GNL) em mais de 60 por cento até 2027.

O Qatar já é um dos maiores produtores mundiais de GNL, juntamente com os Estados Unidos e a Austrália, e espera-se que o GNL de North Field South comece a ser distribuído em 2026.

A Coreia do Sul, o Japão e a China têm sido os principais mercados para o GNL do Qatar.

No passado, a Europa rejeitou os acordos de longo prazo que o Qatar procura para a sua energia, mas a invasão russa da Ucrânia, em fevereiro obrigou a uma mudança de atitude.

O gás do Qatar está entre os mais baratos de produzir e alimentou um boom económico no pequeno Estado, que se tornou um dos países mais ricos do mundo.