"Med5" quer mecanismo de solidariedade

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Reunião do "Med5"
Reunião do "Med5"   -  Direitos de autor  Euronews

Os ministros do Interior, Migração e Asilo de Chipre, Grécia, Malta e Espanha reuniram-se na ilha cipriota de Pafos para a quarta reunião do “MED5”.

O grupo, que também conta com a Itália, reúne os cinco países da União Europeia com fronteiras no mediterrâneo. Durante o encontro, os participantes sublinharam o papel dos seus países como guardas das fronteiras externas do bloco, considerando que num contexto de guerra e de instabilidade na vizinhança alargada, as fronteiras devem ser protegidas de ameaças híbridas.

O ministro cipriota apelou às instituições europeias para reconhecerem os deveres acrescidos atribuídos aos Estados membros da linha da frente da migração massiva. Nico Nouris defendeu um mecanismo de solidariedade eficaz, previsível e obrigatório que reflita as necessidades no terreno".

Para o ministro do interior de Malta, o impacto da guerra e o aumento dos preços dos produtos básicos resultaram numa nova vaga de migrantes económicos. “As pessoas estão a morrer à nossa volta, é uma tragédia após outra, do Líbano para o Atlântico", sublinhou Byron Camilleri.

O representante de Espanha disse que os países do sul da Europa sabem que nenhum sistema pode funcionar se o fardo da responsabilidade continuar a recair quase exclusivamente sobre os países da primeira entrada. Para Fernando Grande Gomez, “os acontecimentos dos últimos meses devem tornar esta realidade cada vez mais clara para todos os Estados da União Europeia ".

Desde 2015 até agora, os países do Sul receberam fundos significativos para gerir o grande número de refugiados e migrantes que receberam. No entanto, muitos acreditam que este dinheiro foi dado para que o Sul pudesse ser transformado numa grande prisão, onde as pessoas chegam e ficam encurraladas. O “MED 5” argumenta que este é um desafio comum e que todos os países devem assumir responsabilidades".