A "verdadeira solução" para o fim da guerra

"É chocante ver que muitos países ocidentais continuam a ruminar sobre se devem ou não fornecer armas", diz conselheiro ucraniano
"É chocante ver que muitos países ocidentais continuam a ruminar sobre se devem ou não fornecer armas", diz conselheiro ucraniano Direitos de autor SERGEI SUPINSKY/AFP
Direitos de autor SERGEI SUPINSKY/AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Conselheiro ucraniano afirma que a Europa tem de reforçar a ajuda militar com urgência e que a solução para a guerra virá do interior da Rússia

PUBLICIDADE

Perante a magnitude da ofensiva russa na Ucrânia, esta segunda-feira, a Europa tem de apressar-se a assumir os compromissos feitos com Kiev. Quem o diz é Alexander Rodnyansky, conselheiro da presidência ucraniana, em entrevista exclusiva à Euronews.

A Rússia ainda tem capacidade interna para concentrar todos os esforços na política externa. Temos de conseguir travá-los e tirar-lhes os recursos para o fazer. Eles têm de concentrar-se neles mesmos
Alexander Rodnyansky
Conselheiro da presidência ucraniana

"É chocante ver que muitos países ocidentais continuam a ruminar sobre se devem ou não fornecer armas ou sistemas de defesa aérea. Os alemães, por exemplo, prometeram durante meses um sistema moderno de defesa aérea. Supostamente, estava em produção. Quantas vezes é que vão continuar a anunciá-lo? Precisamos de mais sistemas desses. Esperemos que isso aconteça agora", afirma.

Mas, para Alexander Rodnyansky, a verdadeira solução encontra-se dentro da própria Rússia.

"É preciso classificar a Rússia como um Estado que promove o terrorismo. Esse é um passo muito importante, não é apenas um gesto simbólico. Isso vai afetar a capacidade comercial russa. Temos de pensar em formas alternativas para desestabilizar o regime russo a partir do interior, porque essa é a verdadeira solução. A Rússia ainda tem capacidade interna para concentrar todos os esforços na política externa. Temos de conseguir travá-los e tirar-lhes os recursos para o fazer. Eles têm de concentrar-se neles mesmos. Há muita coisa a tratar dentro da Rússia", considera.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

G7 deixa aviso a Putin

Como os drones "kamikaze" Shahed do Irão estão a ser utilizados na Ucrânia

Ataques russos na Ucrânia fazem pelo menos oito mortos