EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Intercalares nos EUA mostram país dividido

Eleições intercalares nos EUA mostram país dividido
Eleições intercalares nos EUA mostram país dividido Direitos de autor Andrew Harnik/The AP
Direitos de autor Andrew Harnik/The AP
De  Bruno Sousa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Notícias da morte política de Joe Biden foram manifestamente exageradas, Donald Trump derrotado mas com motivos para sorrir

PUBLICIDADE

As eleições intercalares nos Estados Unidos são tradicionalmente adversas para quem está na Casa Branca mas para Joe Biden, as notícias da sua morte política foram manifestamente exageradas e as previsões de uma vitória esmagadora dos republicanos não saíram do papel.

A Câmara dos Representantes deverá cair para a oposição mas os democratas estão no bom caminho para manter o Senado. A segunda volta anunciada na Geórgia será decisiva.

Natasha Lindstaedt é professora de Ciência Política na Universidade de Essex, explica que "todas as eleições foram mais equilibradas do que antecipávamos e podemos ver como o país está completamente dividido. Está mais polarizado que nunca, por isso penso que teremos uma participação recorde em 2024.

A democracia norte-americana está numa encruzilhada porque ainda temos candidatos que negam o resultado das Presidenciais de 2020. Temos de ver como vai ficar o panorama político após os resultados, é realmente importante que as eleições sejam livres e justas e que as pessoas aceitem os resultados."

Donald Trump acaba por ser uma das figuras destas intercalares. Se uma fatia considerável dos candidatos que apoiou foi derrotada, não deixa de ter motivos para sorrir. A mais que provável vitória dos Republicanos na Câmara de Representantes significa também o mais que provável fim da Comissão que o investiga a propósito da invasão ao Capitólio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Democratas garantem maioria no Senado

Futuro do Senado norte-americano depende de três estados-chave

Robert de Niro chama "palhaço" a Donald Trump à porta do tribunal