Sulfitos usados no vinho e na fruta preocupam peritos de segurança alimentar

Autoridade Europeia de Segurança Alimentar
Autoridade Europeia de Segurança Alimentar Direitos de autor La sede dell'Efsa a Parma/EFSA
Direitos de autor La sede dell'Efsa a Parma/EFSA
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Autoridade Europeia pede mais estudos sobre efeitos destas substâncias conservantes no cérebro

PUBLICIDADE

A ingestão de sulfitos é motivo de preocupação, mas não há dados suficientes para estabelecer um nível de Dose Diária Aceitável.

A conclusão é da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA), que esta quinta-feira, a pedido da Comissão Europeia, atualizou a avaliação de risco para estes aditivos usados como conservantes. Estão presentes em alimentos como maçãs, arroz, cebolas e couves, e bebidas como o vinho.

O grupo de peritos encontrou provas de efeitos adversos sobre a saúde do sistema nervoso central e reafirmou a recomendação anterior de investigar mais profundamente a hipersensibilidade ou intolerância entre alguns consumidores sensíveis por causa de lacunas de conhecimento.

Em 2016, a Autoridade Europeia reavaliou a segurança dos sulfitos. Na altura, estabeleceu uma dose temporária de 0,7 miligramas por quilograma de peso corporal por dia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cem anos a produzir alimentos para pessoas com necessidades nutricionais específicas

"Químicos para toda a eternidade". As substâncias que preservam os alimentos podem fazer-nos mal

Qualidade e segurança dos alimentos