EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Aliados prometem mais apoio à Ucrânia

Países-membros da NATO reuniram-se na Roménia
Países-membros da NATO reuniram-se na Roménia Direitos de autor Andreea Alexandru/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Andreea Alexandru/Copyright 2022 The AP. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A cimeira da NATO na Roménia terminou com novos compromissos de maior apoio à Ucrânia, que continua a ser alvo de fortes ataques aéreos da Rússia. Os ministros dos Negócios Estrangeiros da aliança concordaram que a prioridade é o reforço da defesa aérea e da infraestrutura elétrica do país.

PUBLICIDADE

A cimeira da NATO na Roménia terminou com novos compromissos de maior apoio à Ucrânia, que continua a ser alvo de fortes ataques aéreos da Rússia. Os ministros dos Negócios Estrangeiros da aliança concordaram que a prioridade é o reforço da defesa aérea e da infraestrutura elétrica do país.

O secretário-geral disse que a adesão da Ucrânia continua a ser um objetivo de longo prazo, mas que o foco agora é ajudá-la a sobreviver como Estado. "Os aliados deixaram claro durante a reunião que estão prontos a garantir o apoio com equipamento militar avançado, munições, combustível, com todas as coisas que os ucranianos precisam para se defender, e isso é urgente, essa é a tarefa imediata mais importante para os aliados", afirmou Jens Stoltenberg. 

Os Estados Unidos dizem que a Rússia quer minar a vontade do Ocidente de continuar a apoiar a Ucrânia, mas que isso não vai acontecer. "Durante o inverno e enquanto for necessário para o sucesso da Ucrânia, vamos manter e reforçar a nossa segurança e o apoio humanitário e económico à Ucrânia. Os aliados e parceiros da NATO forneceram 40 mil milhões de dólares em armas à Ucrânia e mais está a caminho", vincou o secretário de Estado norte-americano, Anthony Blinken.

O ministro ucraniano dos Negócios Estrangeiros pediu os sistemas de defesa aéreos mais avançados do Ocidente. “A mensagem é simples: deem-nos Patriots o mais rápido possível, porque este é o sistema que a Ucrânia precisa para proteger a sua população civil e as infraestruturas críticas. Esta não é uma arma ofensiva", disse Dmytro Kuleba. 

A cimeira também abordou os pedidos de adesão da Suécia e da Finlândia à aliança. A Turquia disse que o novo Governo sueco é mais sincero na luta contra o terrorismo, mas que necessita de "ver passos concretos".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia acusa Nato de alimentar conflito

Pilotos da NATO treinam para intercetar aviões russos

Roménia constrói abrigos em partes de fronteira com Ucrânia