Da Fauna à ciência desportiva, o melhor do Qatar 365 em 2022

De  Euronews
Da Fauna à ciência desportiva, o melhor do Qatar 365 em 2022
Direitos de autor  euronews

Das tartarugas marinhas à ciência do desporto, passando pelas canções tradicionais do Qatar e bandas sonoras do Campeonato do Mundo: neste episódio especial de Qatar 365, passamos em revista alguns dos destaques da temporada de 2022.

Tartarugas, camelos e falcões: animais emblemáticos do Qatar

Todos os anos, uma secção da Praia Fuwairit, no Qatar, acolhe visitantes inesperados: tartarugas-de-pente fêmeas. 

Cada tartaruga põe em média 70 a 80 ovos por ninho na praia, e cerca de 75% dos ovos eclodem com sucesso. 

Os cientistas locais deslocam frequentemente muitos ovos para os proteger dos elementos.

Mark Chatting, investigador:"Uma tartaruga fará 2, 3, 4 ou mesmo 5 ninhos numa estação. É importante estudar estas tartarugas no contexto das alterações climáticas. As temperaturas dos ninhos que aqui medimos são as que se prevê que serão medidas nas Caraíbas dentro de 50 anos. Já estamos a experimentar isso aqui. Não é para ser alarmista, mas ver como estas tartarugas se adaptaram a estas condições pode dar uma ideia do que pode acontecer noutros locais."

O número diário de tartarugas a fazer ninhos pode variar. 

Euronews
Uma tartaruga fêmeaEuronews

A sua chegada é imprevisível e pode depender do tempo ou da altura da maré.

 Os ovos passam uma média de 55 dias debaixo da terra, antes de eclodirem, e a próxima geração de tartarugas vai depois para o mar.

De volta à terra firme, há um animal extremamente importante para o Qatar: o camelo. 

A majestosa criatura pode ser rastreada ao longo da história do país, como companheira constante das tribos de beduínos nómadas que viajaram através da região. 

O Qatar acolhe um concurso anual de beleza de camelos, onde são julgados em função das proporções, pelagem, tamanho dos lábios e comprimento das pestanas.

Os camelos considerados mais bonitos levam para casa um prémio monetário de mais de 350.000 euros.

Outro animal com uma longa história no Qatar é o falcão: a ave nacional do país. 

Todos os anos, o Festival Internacional do Falcão e da Caça do Qatar tem lugar em pleno deserto, e centenas de falcões vêm competir num desporto com muitos séculos. 

As competições envolvem velocidade, habilidade e beleza.

Cada um destes animais desempenha um papel importante no Qatar - desde dar uma visão do património cultural do país, até fornecer informação científica vital sobre o futuro de uma espécie.

Dos cânticos do mar à banda sonora do Campeonato do Mundo de futebol

Também descobrimos em 2022 a importância da música no Qatar.

O maestro convidado David Niemann conduz a Orquestra Filarmónica do Qatar nos ensaios preparativos para uma representação com lotação esgotada de alguns clássicos. com músicos árabes, europeus, do Extremo Oriente.

Nos estúdios Katara, a cantora do Qatar Anwar interpreta música folclórica nativa da região, mas com um toque moderno.

Os Estúdios Katara são responsáveis pela produção da música oficial do Campeonato do Mundo Qatar 2022, Hayya Hayya. 

É a primeira vez que a banda sonora do torneio conta com várias canções, reunindo artistas internacionais e sonoridades adequadas para um jogo verdadeiramente global.

Se alguém sabe como soa um disco de sucesso, é o engenheiro de som Matt Howe, vencedor de um Grammy com o álbum do ano de 1999 "The Miseducation of Lauryn Hill". 

Mas apesar das quatro décadas de experiência, o britânico, a viver no Qatar, está sempre disposto a aprender:

"Vir para cá foi bom para mim porque queria saber um pouco mais sobre a música do Médio Oriente, da região do Golfo. Aqui posso aprender, por mim mesmo, e depois, quando regressar a casa, posso fazer recomendações. Esta é uma indústria baseada na comunicação oral e se desempenharmos o melhor possível e conseguirmos interagir com outros, isso é muito bom."

Nascido na Irlanda e a viver atualmente em Doha, Martin Farragher tem tocado aqui de forma regular desde 2015. 

De dia, trabalha como professor de música, mas assim que a escola termina, Martin, frequentemente acompanhado pelos companheiros da banda, pode ser visto em locais únicos em toda a cidade.

Euronews
Martin Farragher e a bandaEuronews

Martin Farragher, cantor compositor:"Durante o confinamento não houve espectáculos, não nos foi permitido tocar em lado nenhum. Mas eu e a banda decidimos fazervídeos em lugares diferentes. Então, aparecemos em pranchas de 'paddle' no oceano, numa caverna no meio do deserto, e fomos colocando no TikTok e no YouTube e a partir daí fez um efeito de bola de neve. E depois houve o GP de Fórmula Um e pediram-nos para tocarmos no palco principal na noite de sábado. Eu quase caí da cadeira quando recebi o e-mail! Foi espantoso, uma grande experiência."

Seja tradicional ou moderna, árabe ou internacional, ou uma fusão de ambos, a crescente cena musical do Qatar tem algo para todos os públicos.

Explorar um mangal de caiaque e experimentar o Padel

O Mangal de Thakira é um dos lugares mais verdes do país, repleto de natureza e vida vegetal, beneficiando de uma maré com uma rápida ascensão. 

E quando a maré é suficientemente alta, não há melhor maneira de o visitar do que em caiaque.

A exploração dos canais do mangal numa embarcação representa certamente um exercício físico. 

Mas é também uma excelente forma de entrar em contacto com a natureza, e oferece a oportunidade de ver outro lado do Qatar.

Euronews
De caiaque no mangalEuronews

Mas há outras formas de fazer trabalhar o corpo para além dos desportos aquáticos. O Padel é o desporto de raquete com um crescimento mais rápido no mundo e é extremamente popular em Doha.

Xavier Pedrero, fundador do "Padel Qatar":"O Padel é um desporto muito fácil de desfrutar desde o primeiro momento. Pode entrar com amigos ou outras pessoas em campo e, desde o primeiro momento em que experimenta o desporto, sente que pode jogar. Assim, independentemente da idade, do nível técnico ou do nível de aptidão física, é capaz de desfrutar desde o primeiro momento."

Com influências do ténis e um toque de "squash", o padel tornou-se num sucesso desportivo no país.

E com tantos "courts", não é de surpreender que o Qatar seja anfitrião de muitos torneios de padel em 2023.

A ciência médica ao serviço do desporto

Mas o que acontece se se lesionar durante um jogo? É aí que entra em cena a Aspetar, a principal instalação de investigação em medicina desportiva do Qatar.

Dr. Jamal Al Khanji, Aspetar:"Como a Aspetar lida com atletas de elite, quer que eles se sintam em casa e a casa, para estes atletas, é um centro de treino ou um ginásio. Se entrar na Aspetar ou passear pela Aspetar, verá que na realidade é mais como um grande ginásio ou centro de treino do que um hospital."

A tecnologia avançada permite aos profissionais de saúde adaptar o programa de reabilitação a cada caso particular.

Em resumo, o caiaque oferece uma injeção de adrenalina, o padel é uma óptima forma de experimentar um novo desporto de raquete e a Aspetar oferece uma visão única da ciência por trás do tratamento de lesões desportivas.