EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Pelo menos 11 mortes em ataques russos a cidades da Ucrânia

Presidente da câmara de Ivanov chora a morte da mulher em ataque russo
Presidente da câmara de Ivanov chora a morte da mulher em ataque russo Direitos de autor Andriy Andriyenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Andriy Andriyenko/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mulher do presidente da Câmara de Ivanov foi uma das vítimas mortais dos ataques russos à Ucrânia.

PUBLICIDADE

De acordo com as autoridades ucranianas pelo menos 11 pessoas morreram em ataques russos, em várias partes do país. Haverá mais de uma dezena de feridos, relatava o porta-voz do Serviço de Emergência ucraniano, Oleksandr Khorunzhyi. 

Em Zaporíjia o número de vítimas mortais era de pelo menos, três. Entre elas estão a mulher do presidente da câmara de Ivanov. Um míssil caiu sobre a casa deste homem de 75 anos, durante a noite, e matou a sua esposa.

Kiev voltou a estar debaixo de fogo e ouviram-se várias explosões esta manhã na capital ucraniana. De acordo com o autarca da cidade, Vitali Klitschko, as explosões foram provocadas por mísseis russos e provocaram pelo menos um morto e dois feridos.

As autoridades ucranianas acusam a Rússia de disparar mais de três dezenas de mísseis para vários pontos do país mas garantem que a maioria foi travada pelo sistema de defesa aérea da Ucrânia.

Além dos danos provocados em Kiev, há ainda relatos de explosões em Kherson e Odessa, onde se registam vários problemas na distribuição de energia elétrica devido aos danos provocados pelos mísseis nas infraestruturas energéticas da cidade.

Do outro lado da guerra, as acusações são bastante semelhantes. Moscovo acusa a Ucrânia de levar a cabo vários ataques de artilharia a alvos civis na região de Kherson e de disparar oito mísseis para uma zona residencial na região de Lugansk.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Delegação da UE vai a Kiev para a cimeira UE-Ucrânia

ONU contabiliza mais de 7100 civis mortos na Ucrânia

Rússia acusa Ucrânia de atacar deliberadamente hospital em Novoiadar