Finlândia vota projeto de lei para aderir à NATO

Jens Stoltenberg e Sanna Marin
Jens Stoltenberg e Sanna Marin Direitos de autor Heikki Saukkomaa/Lehtikuva
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O secretário-geral da Aliança Atlântica anunciou um encontro entre a Finlândia, Suécia e Turquia, para a próxima semana, para desbloquear o processo de adesão

PUBLICIDADE

Apesar do bloqueio da Turquia e da Hungria, o parlamento da Finlândia começou esta terça-feira a debater um projeto de lei para acelerar a candidatura do país à adesão à Nato. A aprovação está praticamente garantida, uma vez que a maioria dos deputados é favorável à adesão. Com esta votação, o país fica um passo à frente da vizinha Suécia.

Antes do início dos trabalhos, a primeira-ministra da Finlândia lamentou que os dois países “continuem à espera”. “E isto condiciona a política de porta aberta da organização e tem a ver com a credibilidade da Nato, porque cumprimos todos os critérios", declarou Sanna Marin.

O secretário-geral da Nato, que se deslocou a Helsínquia para acompanhar a votação, falou sobre os objetivos da Ucrânia. “Os aliados da NATO concordam que a Ucrânia se tornará um membro da nossa aliança, mas ao mesmo tempo é um projeto a longo prazo. A questão, agora, é assegurar que prevaleça como nação soberana independente e, por isso, precisamos de apoiar a Ucrânia", defendeu Jens Stoltenberg.

A Finlândia e a Suécia candidataram-se à NATO depois da invasão da Ucrânia. Para levater o veto, a Turquia quer que os dois países reprimam alegados grupos militantes curdos dentro das suas fronteiras. A Hungria aprovou os pedidos, mas diz que a ratificação vai levar algum tempo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Legislativas na Finlândia: principais partidos taco a taco

Blinken pressiona Turquia a acelerar adesão da Suécia e Finlândia à NATO

Finlândia quer entrar na NATO juntamente com a Suécia