Agricultores ucranianos regressam a campos minados

Casa destruída numa aldeia da região de Kherson
Casa destruída numa aldeia da região de Kherson Direitos de autor OLEKSANDR GIMANOV/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Na região de Kherson, minas e munições não detonadas dificultam o regresso ao trabalho dos agricultores

PUBLICIDADE

Na região de Kherson, o cenário é de devastação, depois de uma longa campanha de bombardeamentos russos. Se, entretanto, os ataques parecem ter parado, o regresso à normalidade é ainda uma realidade longínqua.

Com a aproximação da primavera, os agricultores querem voltar a trabalhar os campos, mas deparam-se frequentemente com minas e munições não detonadas.

Um desses agricultores é Andrii Litvinov. Um grupo de sapadores trabalhou com ele durante quatro dias para inspecionar o seu campo, de 250 hectares. Mas, apesar dos esforços, continua a encontrar munições.

Andrii Litvinov, agricultor ucraniano:"Tentámos fazê-lo nós próprios, com ajuda de sapadores voluntários. Encontrados cerca de 300 cargas, que eles recolheram, eliminaram e detonaram."

Estima-se que há dois milhões e meio de hectares de área agrícola que precisa de ser inspecionada na Ucrânia, mas as operações de limpeza e desminagem exigem material especial e Kiev precisa de obtê-lo dos parceiros internacionais.

Para os agricultores, outro problema é as suas próprias máquinas e tratores, danificados pela guerra. As reparações são complicadas.

Artem, condutor de trator:"Desde criança, sempre sonhei em conduzir tratores, e foi assim que comecei. Se não fosse pelas minas, voltaria imediatamente, ter-me-ía precipitado, porque estou habituado e quero voltar aos campos."

Os agricultores de Kherson esperam poder trabalhar pelo menos 30 por cento dos campos nos territórios libertados das margens do rio Dnipro. Um início, mas não o suficiente para alimentar o país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

As ONG promovem a reconstrução verde da Ucrânia

Rússia tenta consolidar posições em torno de Avdiivka

Ataques russos com drones e mísseis matam cinco civis na Ucrânia