EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Zelenskyy saúda Plano de fornecimento de munições da UE a Kiev

Equipamento militar ucraniano perto de Bakhmut, região de Donetsk
Equipamento militar ucraniano perto de Bakhmut, região de Donetsk Direitos de autor Roman Chop/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Roman Chop/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Nara Madeira
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente Zelenskyy satisfeito com plano europeu de fornecimento de munições enquanto prossegue a luta por Bakhmut.

PUBLICIDADE

Enquanto o primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, se desloca a Kiev, esta terça-feira, no terreno prossegue a luta por Bakhmut. Kiev diz que a batalha pela cidade é fundamental para reter as forças russas em toda a frente oriental. 

A escassez de munições tem sido um desafio para a Ucrânia, pelo que a notícia de um plano de fornecimento vindo da Europa é uma espécie de luz ao fundo do túnel. A União Europeia anunciou um plano conjunto para acelerar o fornecimento e produção de munições para a artilharia ucraniana, no valor de dois mil milhões de euros. 

Este é um passo estratégico. Dá-nos confiança e reforça a unidade, no que diz respeito ao progresso em direção à vitória sobre o Estado terrorista.
Volodymyr Zelenskyy
Presidente da Ucrânia

Os EUA também parecem ter respondido ao pedido de mais munições sob a forma de um novo pacote de Defesa no valor de 350 milhões de dólares, cerca de 326 milhões de euros.

A Rússia está a aumentar a pressão sobre as linhas de abastecimento de Avdiivka, como fez em Bakhmut. O que faz Kiev acreditar que esta cidade se pode tornar numa segunda Bakhmut, com as forças de Moscovo a avançarem.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelesnkyy visitou região de Kherson

Tropas ucranianas determinadas a manter Bakhmut

Ucrânia está a "avançar rapidamente" na via da adesão à UE, diz chefe da delegação