Rússia promete tomar medidas para responder à adesão da Finlândia à NATO

O presidente russo Vladimir Putin
O presidente russo Vladimir Putin Direitos de autor Gavriil Grigorov/Sputnik
Direitos de autor Gavriil Grigorov/Sputnik
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O porta-voz do Kremlin diz que a entrada do país vizinho na Aliança Atlântica afronta a segurança e os interesses nacionais russos.

PUBLICIDADE

A Rússia promete tomar medidas para responder à adesão da Finlândia à NATO, oficializada esta terça-feira. O porta-voz do Kremlin diz que a entrada do país vizinho na Aliança Atlântica afronta a segurança e os interesses nacionais russos. 

Dmitry Peskov acusa a estrutura da NATO de ser hostil em relação à Rússia. “Estaremos atentos ao que acontecerá na Finlândia, como a NATO explorará o território da Finlândia em termos de colocação de armas e sistemas de infraestruturas que estarão perto das nossas fronteiras e potencialmente nos ameaçarão. Medidas serão tomadas com base nisto".

O ministro da Defesa russo considera que a adesão da Finlândia aumenta o risco de conflito e que alguns caças bielorrussos podem agora transportar ogivas nucleares. "Num futuro próximo, a Finlândia tornar-se-á membro da aliança. Claro que tudo isto cria riscos de uma expansão significativa do conflito, mas não afetará o resultado da operação especial", afirmou Sergey Shoigu. 

Shoigu disse ainda que sistemas de rockets Iskander foram transferidos para a Bielorrússia.

A guerra na Ucrânia fez com que a população finlandesa mudasse de opinião em relação à adesão à NATO. Antes da guerra apenas 25% da população estava a favor, contra 75%, atualmente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tensão crescente nas fronteiras entre a Finlândia e a Rússia

Rússia aborta lançamento do foguetão Angara-A5 a minutos da descolagem

Rússia e Cazaquistão vivem "piores cheias em décadas"