Macron quer compartilhar com a China responsabilidade pela paz

O presidente francês Emmanuel Macron
O presidente francês Emmanuel Macron Direitos de autor Thibault Camus/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Thibault Camus/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Depois do primeiro-ministro espanhol, é o presidente francês que está de visita a Pequim. Emmanuel Macron vai tentar convencer a China a exercer pressão sobre a Rússia para alcançar a paz na Ucrânia, como explicou na embaixada francesa em Pequim.

PUBLICIDADE

Depois do primeiro-ministro espanhol, é o presidente francês que está de visita a Pequim. Emmanuel Macron vai tentar convencer a China a exercer pressão sobre a Rússia para alcançar a paz na Ucrânia, como explicou na embaixada francesa em Pequim.

"Falando diretamente com a China sobre este conflito, a agressão russa, o que está em jogo, as consequências para a nossa Europa, as consequências para o Próximo e Médio Oriente, bem como para o continente africano e tantos outros. É isso que vou discutir amanhã e no dia seguinte com o presidente. Tentaremos construir, de certa forma, comprometer a China com uma responsabilidade compartilhada pela paz e estabilidade", afirmou Macron.

Mas Macron também vai fazer negócios com o gigante asiático. Na comitiva viajaram mais de 50 executivos de empresas francesas.

A presidente da Comissão Europeia vai acompanhar Macron numa reunião com o presidente Xi Jinping, numa aposta na China que está a gerar algumas críticas no seio da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chanceler alemão pede à China mais abertura económica

China responde à investigação da UE sobre os subsídios às indústrias verdes

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo