EUA rejeitam críticas de Lula sobre guerra na Ucrânia

Protestos na visita de Lavrov ao Brasil
Protestos na visita de Lavrov ao Brasil Direitos de autor AP Photo/Eraldo Peres
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente brasileiro disse que a União Europeia e os Estados Unidos deveriam "começar a falar de paz"

PUBLICIDADE

O Brasil pode ser um candidato apropriado para mediar o conflito Rússia-Ucrânia. No entanto, as críticas do Presidente Lula da Silva aos Estados Unidos (EUA) e à Europa levantaram problemas em Washington.

No último sábado, no final da visita à China, Lula terá sugerido que a União Europeia e os Estados Unidos deveriam deixar de "encorajar" a guerra na Ucrânia e "começar a falar de paz".

Na resposta, o porta-voz da Casa Branca, John Kirby, acusou Lula de "papaguear" a propaganda russa sobre a guerra e disse que o presidente estaria "simplesmente mal orientado".

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Brasil já respondeu à Casa Branca."Não posso dizer nada sobre o assunto, porque nem sequer ouvi e não sei do que se trata. Só posso dizer que o Brasil e a Rússia celebraram este ano 195 anos de relações diplomáticas com embaixadores residentes e são dois países que têm uma história comum", declarou Mauro Vieira.

Na sua visita ao Brasil, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo agradeceu ao país anfitrião pela tentativa de mediar as conversações de paz sobre a Ucrânia.

"Agradecemos aos nossos amigos brasileiros pela sua excelente compreensão da génese desta situação. Estamos unidos por um desejo comum de contribuir para a formação de uma ordem mundial mais justa, verdadeiramente democrática e policêntrica”, disse Sergey Lavrov.

Lavrov voltou a culpar "o Ocidente e a NATO" pela invasão da Ucrânia. Depois do Brasil, o ministro russso vai continuar o périplo latino-americano pela Venezuela, por Cuba e pela Nicarágua.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Xi Jinping diz que abertura da China trará oportunidades para o Brasil

Lula da Silva visita China e tenta reaproximação

Lula propõe grupo de mediação para a paz na Ucrânia