Equador lança operações militares contra terrorismo

Polícia do Equador detém narcotraficantes
Polícia do Equador detém narcotraficantes Direitos de autor Dolores Ochoa/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Onda de violência no país levou governo a declarar guerra ao narcotráfico.

PUBLICIDADE

O Equador vai lançar operações militares especiais para combater o terrorismo. Ainda esta quinta-feira o governo declarou terroristas os grupos criminosos ligados ao narcotráfico, na sequência da onda de violência que há mais de dois anos assola o país.

De forma a combater a criminalidade, Wagner Bravo, secretário do Conselho Segurança Pública do Equador recomendou "ao Presidente da República que emita um decreto executivo estabelecendo medidas coercivas urgentes e eficazes que incluam até o uso de armas letais ".

Atentados à bomba, raptos, extorsões e assassinatos têm manchado de sangue a atualidade do país.

Desde fevereiro de 2021, já decorreram oito massacres em prisões. Dos incidentes resultaram mais de 400 reclusos mortos, muitos deles desmembrados ou queimados.

A taxa de homicídios no Equador quase duplicou em um ano, passando dos 14  assassinatos por 100 mil habitantes para os 25, em 2022.

A 03 de março, o presidente Guillermo Lasso declarou estado de emergência em Guayaquil e na província de Esmeraldas, no noroeste do país, onde morreram nove pessoas num ataque a um porto de pesca.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Candidata socialista foi a mais votada na primeira volta da presidencial equatoriana

Equador despede-se de candidato presidencial assasinado durante comício eleitoral

Segurança nos estádios de futebol é reforçada após ameaça do Estado Islâmico