Rússia diz que repeliu ataques ucranianos, Kiev afirma que precisa de mais tempo

Conflito na Ucrânia poderá estar a entrar numa nova fase
Conflito na Ucrânia poderá estar a entrar numa nova fase Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor LIBKOS/Copyright 2023 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Moscovo afirma que repeliu ataques ucranianos ao longo de uma frente de batalha de 95 quilómetros; Kiev rejeita que esteja em curso uma contra-ofensiva pois ainda são necessárias mais armas

PUBLICIDADE

Será que a contra-ofensiva ucraniana já começou? A incerteza prevalece perante as informações contraditórias que vão surgindo tanto por parte de Moscovo como Kiev.

Numa entrevista concedida à emissora estatal britânica, BBC, na quinta-feira, o Presidente Volodymyr Zelensky anunciou que ainda não havia chegado a altura de contra-atacar pois precisava de tempo e de armas.

Por seu lado, o exército russo afirmou ter repelido 26 ataques de forças ucranianas na quinta-feira, numa frente de batalha de 95 quilómetros no sector de Soledar.

Relativamente à batalha de Bakhmut, a Ucrânia anunciou esta sexta-feira que havia retomado os territórios em torno desta cidade. O chefe do grupo Wagner parece confirmar a informação, dizendo que as tropas regulares russas estavam a fugir, levando ao colapso das defesas.

Neste contexto de grande incerteza, o presidente ucraniano é esperado sábado em Roma para se encontrar com dirigentes italianos e, presumivelmente, com o Papa Francisco.

A China anunciou que enviará um alto representante a Kiev na segunda-feira, que fará um périplo pela Europa antes de se deslocar a Moscovo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy proibido de participar no Festival Eurovisão da Canção

Novos ataques russos em Zaporíjia. Moscovo retira civis da linha da frente

Ataques russos na Ucrânia fazem pelo menos oito mortos