Líder de milícia extremista condenado a 18 anos de prisão

Esboço artístico de Stewart Rhodes na sala de audiências enquanto testemunha perante o juiz distrital dos EUA Amit Mehta
Esboço artístico de Stewart Rhodes na sala de audiências enquanto testemunha perante o juiz distrital dos EUA Amit Mehta Direitos de autor AP Photo
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Líder de milícia extremista norte-americana Oath Keepers foi condenado a 18 anos de prisão pelo papel desempenhado nos motins no Capitólio em janeiro de 2021

PUBLICIDADE

O fundador do grupo extremista norte-americano Oath Keepers foi condenado na quinta-feira a 18 anos de prisão por orquestrar uma operação que culminou com o ataque contra o Capitólio numa tentativa de manter o presidente norte-americano Joe Biden fora da Casa Branca após vencer as eleições de 2020.

Stewart Rhodes, de 58 anos, é a primeira pessoa acusada no ataque de 6 de janeiro de 2021 a ser condenada por conspiração. Rhodes alegou ser um prisioneiro político, insistindo que os Oath Keepers pretendiam apenas proteger outros manifestantes.

"Não há qualquer hipótese de ele ter sido o líder ou o orquestrador do que aconteceu a 6 de Janeiro. Ele era apenas um alvo conveniente. Os Oath Keepers eram um alvo conveniente. O Departamento de Justiça olhou para eles e disse: "Oh, aqui estão os bodes expiatórios de 6 de Janeiro", afirmou Edward L. Tarpley Jr, o advogado de Rhodes.

Ele era apenas um alvo conveniente
Edward L. Tarpley Jr.
Advogado de Stewart Rhodes

A sentença dada a Rhodes é a mais longa proferida até agora pelos motins ocorridos no Capitólio em 2021, onde milhares de apoiantes de Donald Trump que se opunham ao resultado das eleições presidenciais de 2020 invadiram a legislatura dos EUA. 

A procuradoria havia pedido uma pena de 25 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Foi divulgado o relatório da investigação sobre o ataque ao Capitólio

Ataque ao Capitólio: Investigação recomenda que Donald Trump vá a julgamento

Capitólio: Trump sabia que manifestantes estavam armados