EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Volodymyr Zelenkyy anuncia sanções a mais 220 empresas e 51 indivíduos

Um soldado ucraniano salta da artilharia autopropulsada alemã Panzerhaubitze 2000 na linha da frente, perto de Bakhmut, região de Donetsk.
Um soldado ucraniano salta da artilharia autopropulsada alemã Panzerhaubitze 2000 na linha da frente, perto de Bakhmut, região de Donetsk. Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Efrem Lukatsky/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Kiev inaugura um monumento aos soldados ucranianos detidos pelos russos, no dia em que Zelenskyy coloca na listas das sanções dezenas de novas empresas e entidades.

PUBLICIDADE

Volodymyr Zelenskyy anunciou uma nova ronda de sanções contra empresas e indivíduos que acusa de estarem a apoiar os esforços de guerra da Rússia. 

O anúnicio foi feito no mesmo dia em que a Rússia diz ter abatido dois mísseis de longo alcance "Storm Shadow" disparados pelas forças ucranianas. 

Os serviços secretos ucranianos divulgaram, entretanto, um relatório em que acusam as forças russas que ocupam a central nuclear de Zaporíjia de estarem a planear uma fuga radioativa pela qual querem culpar os ucranianos.

"Hoje é mais um dos nossos dias de sanções. Há sanções contra pessoas coletivas e pessoas singulares - na sua maioria russas - que trabalham para o terrorismo. No total, são 220 empresas e 51 indivíduos. São empresas militares industriais e empresas russas relacionadas. Empresas que estão ao serviço da guerra, afirmou o presidente da Ucrânia.

Na região de Donetsk, prosseguem os bombardeamentos russos. As forças ucranianas respondem com ataques usando drones improvisados.

Em Kiev, foi inaugurado um monumento aos soldados ucranianos detidos pelos russos. O monumento, que representa duas mãos amarradas, está numa praça central da capital ucraniana. 

Há dois meses, as Nações Unidas condenaram o tratamento dado aos prisioneiros de guerra por ambas as partese identificaram 48 locais na Rússia ou nas zonas da Ucrânia ocupadas pela Rússia, onde estão detidos prisioneiros de guerra.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy e Macron apelam a mais sanções contra a Rússia

UE ameaça com novas sanções se Bielorrússia acolher armas nucleares russas

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa